UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/copa-2014/ultimas-noticias/2012/01/31/governo-do-rj-cadastra-candidatos-a-arrendar-maracana-eike-e-flamengo-estao-na-briga.htm
  • Governo do RJ cadastra candidatos a arrendar Maracanã; Eike e Flamengo estão na briga
  • 18/06/2024
  • UOL Esporte - Futebol
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte @UOL
  • 2
Tamanho da letra
Maquete antiga mostra estádio, que deve ser privatizado para a Olimpíada de 2016

Maquete antiga mostra estádio, que deve ser privatizado para a Olimpíada de 2016

31/01/2012 - 06h02

Governo do RJ cadastra candidatos a arrendar Maracanã; Eike e Flamengo estão na briga

Do UOL, em São Paulo

Empresas que pretendem assumir o controle do Maracanã têm até esta terça-feira para manifestar oficialmente seu interesse ao governo do Rio de Janeiro. O estádio e todo seu complexo esportivo estão incluídos em um edital de concessão, que prevê a privatização do Maracanã para a Olimpíada de 2016.

O edital foi publicado neste mês e despertou interesse de grandes companhias e clubes do futebol nacional. A EBX, do empresário bilionário Eike Batista, já confirmou que está na briga pelo estádio. O Flamengo informou que está negociando com Eike uma parceria para administrar o Maracanã.

Esses e outros interessados têm até o dia 31 de março para apresentarem projetos concretos para o estádio. Esses projetos, porém, têm de seguir uma série de exigências estabelecidas pelo governo fluminense para preparar o local para os Jogos Olímpicos.

O governo exige, por exemplo, que o futuro administrador do complexo mantenha disponível duas quadras do ginásio do Maracanãzinho para o aquecimento de atletas olímpicos. Essas quadras, inclusive, têm que cumprir todas as especificações do COI (Comitê Olímpico Internacional), segundo o edital.

O documento determina também que as empresas ou pessoas físicas interessadas em administrar o Maracanã incluam em sua proposta um projeto de construção de um estacionamento com espaço para pelo menos 2.000 carros na área do complexo esportivo. Para isso, o governo abre a possibilidade para que o administrador da área ponha abaixo a pista de atletismo Célio de Barros e o parque aquático Júlio Delamare e os construa em um outro terreno, a no máximo 5 km de distância do estádio.

Outra exigência é a reforma do Maracanãzinho para que o ginásio possa receber grandes shows e eventos musicais. A manutenção dos direitos sobre as cadeiras cativas do estádio e de uso das tribunas de honra por autoridades também tem que ser garantida.

O edital, contudo, informa que o governo não está obrigado a conceder a administração do estádio aos que se propuserem a assumi-la. O documento também não traz uma previsão de data sobre quando o governo se manifestará sobre as propostas.

Obras no Maracanã
Obras no Maracanã

Placar UOL no iPhone