UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/copa-2014/ultimas-noticias/2011/09/05/em-obras-para-copa-mineirao-completa-46-anos-e-mexe-com-imaginario-de-atletas.htm
  • Em obras para Copa, Mineirão completa 46 anos e mexe com imaginário de atletas
  • 22/05/2024
  • UOL Esporte - Futebol
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
Fechado no ano passado, Mineirão será reinaugurado em dezembro de 2012

Fechado no ano passado, Mineirão será reinaugurado em dezembro de 2012

05/09/2011 - 07h01

Em obras para Copa, Mineirão completa 46 anos e mexe com imaginário de atletas

Bernardo Lacerda e Guyanne Araújo
Em Belo Horizonte

Fechado desde junho do ano passado por causa da reforma para a Copa do Mundo de 2014, o Mineirão, que completa 46 anos de fundação nesta segunda-feira, mexe com o imaginário de jogadores de Atlético-MG e Cruzeiro, seja pela saudade de atuar no estádio, seja pelo desejo de quem jamais pisou no gramado do ‘gigante da Pampulha’.

MINEIRÃO PROVOCA SAUDADE E DESEJO

  • Washington Alves/Vipcomm

    Argentino Montillo, que jamais atuou no Mineirão, não sabe se realizará desejo de atuar no estádio

  • Bruno Cantini/site oficial do Atrlético-MG

    Jovem goleiro Renan Ribeiro sente falta da energia que o Mineirão sempre trouxe para o Atlético-MG

“O Mineirão sempre trouxe uma grande energia para o Atlético, a torcida comparecia e apoiava sempre, os times sempre tiveram dificuldade de ganhar do Atlético aqui em Belo Horizonte”, disse o goleiro atleticano Renan Ribeiro, sobre a falta que o Mineirão faz para sua equipe.

No outro da moeda, o meia Montillo, camisa 10 do Cruzeiro, jamais atuou no estádio e sequer entrou no estádio como visitante. Com contrato até 2015 com o clube celeste, o argentino, um dos destaques do Brasileirão, tem sido assediado e até recebeu propostas para ser negociado neste ano. Porém, foi mantido pela diretoria cruzeirense.

Como o novo Mineirão ficará pronto somente em dezembro do ano que vem, Montillo corre o risco de não realizar o desejo de atuar no estádio. “Fico com muita vontade de jogar no Mineirão com a torcida de BH, porque sempre estamos jogando em outra cidade, mas está arrumando para o Mundial. É só aguardar e, se Deus quiser, jogar quando estiver pronto, mas não sei se vou estar aqui, onde vou estar. Mas não temo, não. Jogo de todo jeito em todo lugar, mas gostaria de jogar no Mineirão”, ressaltou.

Montillo chegou ao Cruzeiro em agosto do ano passado, quando o Mineirão já havia sido fechado para obras. “Nunca joguei no Mineirão, não tive a sorte de jogar”, disse o meia.

Emprestado pelo Palmeiras ao Atlético, o volante Pierre já esteve nos gramados do ‘gigante da Pampulha’ atuando por equipes de fora de Minas. “Já tive o privilégio de vir com outras equipes jogar em Belo Horizonte, tive encontro com a torcida, sei da grandeza deste torcedor, ele incentiva, o que a gente espera é isso também em Sete Lagoas, mas jogar no Mineirão sempre foi diferente”, comentou o jogador.

O também volante Marquinhos Paraná, no Cruzeiro desde 2008, já teve a oportunidade de jogar no Mineirão por várias vezes. “É mais saudade da torcida, do jogo mesmo, saudade de estar ali naquele Mineirão maravilhoso e que faz muita falta para a nossa equipe. Mas, enfim, temos que deixar isso de lado e qualquer estádio em que formos jogar temos que honrar com muita dignidade essa camisa”, lembrou Marquinhos Paraná.

Em tom saudosista, o volante celeste ressaltou que o estádio sempre foi uma motivação a mais. “Independentemente de estar lotado ou não, jogar naquele estádio é maravilhoso. Acho que até eu sair daqui não vou pegar a volta do Mineirão, mas fica a lembrança, os melhores jogos, as vitórias, a torcida quando lotou o estádio mesmo na final da Libertadores (em 2009 contra o Estudiantes) quando a gente foi derrotado, a torcida foi maravilhosa, incentivou do começo ao fim e isso é uma lembrança para o resto da vida”, recordou Marquinhos Paraná.

Apesar de não saber como estão às obras no estádio, Marquinhos Paraná revela que já observou quando passou por perto. “Mas é uma saudade imensa, uma perda muito grande para nossa equipe não poder atuar no Mineirão”, destacou Marquinhos Paraná.

Atualmente técnico do Atlético, Cuca, que também já treinou o rival Cruzeiro, lamentou as dificuldades que as equipes tem passado por não poder jogar no estádio. “Atlético e Cruzeiro estão tendo dificuldades por não terem o Mineirão para jogar, é mais viagem. Claro que é diferente quando se jogava aqui, mas Sete Lagoas é uma boa casa e os times já estão se acostumando em jogar lá”, destacou.

REFORMA DO MINEIRÃO ENCONTRA-SE NA ÚLTIMA ETAPA DAS OBRAS

  • Sylvio Coutinho/Divulgação

    O BNDES aprovou linha de crédito no valor de R$ 400 milhões para o consórcio Minas Arena, responsável pelas obras do Mineirão e, posteriormente à reinauguração, pela administração

Andamento das obras

De acordo com a Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo (Secopa), atualmente 1.060 operários trabalham na modernização do Mineirão, sendo 102 mulheres. Ao todo já foram implantados 166 novos amortecedores e 40% dos blocos de apoio da nova arquibancada já foram feitos.

Além disso, a demolição das áreas interna e externa já está bem avançada e os serviços de terraplenagem e fundação estão em fase final. “O Mineirão estará pronto em dezembro de 2012 e faremos uma grande festa de reinauguração”, afirmou o secretário da Secopa, Sérgio Barroso.

A Secopa também informou que o pedido de financiamento para a obra do Mineirão foi aceito recentemente. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a linha de crédito no valor de R$ 400 milhões, que será liberada diretamente à empresa Minas Arena, responsável pela obra do Mineirão e, posteriormente à reinauguração, pela administração do estádio por 25 anos.

Fechado desde o dia 26 de junho de 2010, o Mineirão vem passando por várias etapas de reforma. De 26 de junho a 20 de dezembro, foi realizada a demolição de parte da arquibancada inferior e da geral, além de rebaixamento do campo em 3,4 metros, com recursos também do governo de Minas no valor de R$ 3,5 milhões.

Antes disso, com o estádio ainda em funcionamento, de 25 de janeiro a junho de 2010, foram feitos reparos estruturais das vigas de sustentação do estádio. O custo foi de R$ 8,2 milhões, investidos pelo Governo de Minas.

A última etapa, que está em andamento, teve início em 22 de dezembro de 2010 e tem a previsão de ser finalizada até 20 de dezembro de 2012. Nesta fase, o Mineirão vem sendo adequado ao mais alto padrão de qualidade estabelecido pela Fifa. Para viabilizar a etapa, orçada em R$ 654 milhões, o Governo de Minas Gerais optou pelo modelo da gestão compartilhada.  A Minas Arena conduz a obra e terá direito a operar o estádio por 25 anos.

Placar UOL no iPhone