UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/copa-2014/ultimas-noticias/2011/07/21/manaus-discute-projeto-para-rebatizar-lixeiros-e-evitar-preconceitos-durante-a-copa.htm
  • Manaus discute projeto para rebatizar lixeiros e evitar preconceitos durante a Copa
  • 05/12/2020
  • UOL Esporte - Futebol
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
21/07/2011 - 14h26

Manaus discute projeto para rebatizar lixeiros e evitar preconceitos durante a Copa

Thales Calipo
Em São Paulo

Apesar de serem conhecidos em todo o país como lixeiros ou garis, os profissionais responsáveis pela limpeza pública de Manaus podem ganhar uma nova nomenclatura. Preocupado com um suposto preconceito sofrido pela classe, que ficaria ainda mais evidente durante a Copa do Mundo de 2014, o vereador Massami Miki (PSL) propôs um projeto de lei que, se aprovado, criaria os “agentes ambientais urbanos”.

MEIA ENTRADA A PERIGO NA COPA-2014

  • Divulgação/Fifa

    Comandando por Orlando Silva, um ex-presidente da União Nacional dos Estudantes (UNE), o Ministério do Esporte elaborou um conjunto de regras para a Copa do Mundo de 2014, em acordo com a Federação Internacional de Futebol Associados (Fifa), que põe em risco a meia-entrada para estudantes.

“O substantivo gari, que é sinônimo de lixeiro, trata dos profissionais da limpeza pública, mas acho um nome preconceituoso e ofensivo. Então estou querendo dar uma conotação que fique mais elegante”, explicou o vereador responsável pela proposta.

Com o aumento de pessoas atraídas para a cidade durante a Copa do Mundo de 2014, os lixeiros poderiam ser alvos desses supostos atos de preconceito. Mesmo assim, essa proposta de mudança de nome é embasada, principalmente, em questões comerciais.

Pelo projeto, os agentes ambientais urbanos, além de limpar as ruas, seriam responsáveis por fiscalizar quem jogasse lixo em locais inapropriados e até fazer uma denúncia formal para que o “transgressor” seja multado. Isso se outro projeto do mesmo vereador, que também está em discussão na Câmara, fosse aprovado.

“Antes da Copa, nós precisamos conscientizar a população, mas não há mais tempo para isso. Então, as coisas só vão acontecer quando começar a doer no bolso. Quando alguém jogar lixo na rua, ele vai sentir no bolso”, completou Miki.

A expectativa é que os dois projetos sejam votados durante o segundo semestre e, se for aprovado, precisará ser sancionado pelo prefeito Amazonino Mendes.

Placar UOL no iPhone