UOL esporte

  • http://esporte.uol.com.br/futebol/copa-2014/ultimas-noticias/2011/07/12/odebrecht-pede-valor-do-itaquerao-aberto-corinthians-quer-impor-limite.htm
  • Odebrecht pede valor do Itaquerão "aberto"; Corinthians quer impôr limite
  • 05/12/2020
  • UOL Esporte - Futebol
  • UOL Esporte
  • @UOLEsporte #UOL
  • 2
Tamanho da letra
12/07/2011 - 11h12

Odebrecht pede valor do Itaquerão "aberto"; Corinthians quer impôr limite

Roberto Pereira de Souza
Em São Paulo

O último impasse para a conclusão do contrato do Itaquerão, futuro estádio do Corinthians, é o valor final do orçamento da obra. Com o projeto definido em cerca de R$ 850 milhões, a construtora Odebrecht e o clube divergem sobre a possível imposição de um montante limite.

As duas partes concordam que o valor vai aumentar naturalmente por conta da inflação. O Corinthians defende um teto de 20% de aumento até a conclusão da obra. O valor seria decorrente de um encarecimento esperado dos insumos da construção e, em uma projeção média, atingiria os R$ 950 divulgados pelo UOL Esporte na última segunda.

Já a Odebrecht quer que o valor do contrato fique aberto. Dessa forma, ela pode readequar o orçamento caso aconteça algum imprevisto no caminho.

A informação foi confirmada à reportagem por Luís Paulo Rosemberg, diretor de marketing do Corinthians. O cartola compareceu, nesta terça, ao lançamento do filme 4xTimão, que reconta a história dos quatro títulos brasileiros do clube.

Na última segunda, Rosemberg esteve no Rio de Janeiro em uma reunião com o Comitê Organizador. Nela, apresentou a engenharia financeira montada pelo clube e pela Odebrecht para erguer o Itaquerão. Além disso, ainda forneceu dados sobre o cronograma de todas as obras relacionadas ao estádio.

A engenharia financeira montada pelo clube mistura financiamento público e privado. Do valor total, R$ 420 milhões seriam bancados pelos incentivos fiscais concedidos pela Prefeitura. Os R$ 400 milhões do empréstimo do BNDES, por sua vez, seriam bancados por um fundo de investimento aberto a grandes investidores.

O restante da conta seria pago pelo próprio Corinthians, com a venda de naming rights da arena e outras ações de marketing com o Itaquerão, como a venda de camarotes. 

Placar UOL no iPhone