saúde

Além do infarto...

Veja 10 problemas de saúde que também causam dores no peito

No entanto, existem diversas doenças que causam dores torácicas. Esse desconforto pode ser mais intenso ou surgir como forma de pontada, pressão, aperto ou queimação no peito.

Sentir uma dor no peito pode ser assustador. Dependendo da intensidade do sintoma, muitas vezes, ele é confundido com um infarto que, em alguns casos, é fatal.

iStock

Na dúvida, busque um pronto-socorro e realize exames específicos para avaliar o ritmo cardíaco e o funcionamento do coração para descartar o risco de algo mais grave. A seguir, veja outros problemas que causam dores no peito.

Mesmo assim, os especialistas consultados reforçam: a rapidez no diagnóstico e no atendimento é essencial para reduzir a mortalidade e as complicações de um infarto!

O excesso de gases no tubo digestivo gera uma compressão que distende o abdome e alguns órgãos. Com isso, surge uma dor ou desconforto na região do peito. O problema não é grave e acontece geralmente após comer certos alimentos ou quando as refeições são realizadas rapidamente e ingere-se mais ar.

Gases

Quem nunca ficou ansioso e sentiu aquela dor no peito? Ansiedade e estresse causam desconfortos no tórax. E os motivos podem ser uma tensão muscular ou um aumento da intensidade da respiração. Vale se atentar para outros sintomas de ansiedade como palpitações, boca seca, sudorese e tremores. 

Ansiedade

Pessoas com uma postura inadequada, sobrepeso ou que realizam exercícios físicos em excesso podem ter dores musculares na região do tórax. Isso ocorre porque os músculos ficam inflamados. Para aliviar, é importante identificar a causa, mas alongamento, repouso e medicamentos são eficazes.

Dores musculares

Existe uma válvula que separa o estômago do esôfago e quando ela não funciona adequadamente o ácido estomacal volta para a garganta. Isso causa queimação e ardência no peito. A dor costuma ser mais no centro do peito, atingir o pescoço e a mandíbula. E podem surgir azia e regurgitação. 

Refluxo

Além da dor no peito, podem surgir falta de ar, chiado e tosse.

Os pulmões estão localizados dentro do tórax e algumas doenças pulmonares provocam dor na região do peito, como pneumonia, bronquite, asma, enfisema, embolia pulmonar e pneumotórax (presença de ar entre as membranas do pulmão).

Problemas pulmonares

O problema acontece quando uma parte do estômago passa pelo diafragma e se desloca para a cavidade torácica. Aí é comum ocorrer refluxo do conteúdo ácido do estômago para dentro do esôfago. Isso causa uma inflamação que pode levar a uma dor no peito. Entre os sintomas destacam-se azia, dificuldade de engolir e arrotos.

Hérnia de hiato

Conhecidas também como úlceras pépticas, elas são lesões que ocorrem no revestimento do estômago. Por isso, causam dores indefinidas na região do tórax. Surgem também dores e queimação na garganta, sensação de estômago cheio, náuseas e vômitos.

Úlceras gástricas

O coração é revestido por uma membrana chamada de pericárdio, que ajuda na movimentação do órgão. Algumas doenças autoimunes e reumatológicas causam uma inflamação nessa membrana surgindo a pericardite. Geralmente, a dor no peito irradia para pescoço e costas.

Pericardite

Também há falta de ar e paralisia nas pernas. É mais comum em homens acima de 60 anos. 

O quadro é uma emergência médica, uma vez que o revestimento interno da aorta se rompe - o que leva a uma hemorragia. O principal sintoma é dor intensa e repentina no tórax, podendo seguir para pescoço, costas ou abdome.

Dissecção de aorta

Com isso, surgem sintomas semelhantes ao infarto como dores no peito, falta de ar, tontura e fadiga, só que ocorrem devido a uma descarga excessiva de adrenalina na corrente sanguínea. Costuma desaparecer sem tratamento.

O problema de origem psicológica aparece quando há um grande estresse emocional e físico, geralmente impulsionado pela perda de um ente querido.

Síndrome do coração partido

Como regra geral, os especialistas consultados recomendam buscar ajuda médica assim que sentir a dor no tórax, de início abrupto e de intensidade suficiente para causar desconforto e apreensão.

Se a dor acompanhar falta de ar, palidez, suor frio, náuseas, sensação de desmaio ou se ela se estende para os braços ou costas, a urgência de atendimento médico é ainda maior.

Pessoas acima de 40 anos, com histórico familiar de doença cardíaca, fumantes ou com hipertensão, diabetes ou colesterol muito elevado devem ficar mais atentas. Para diminuir o risco de infartos, o ideal é fazer um check-up cardiológico com frequência.

Fontes: Rica Buchler, cardiologista e diretora da reabilitação cardíaca do Instituto Dante Pazzanese (SP); Luiz Guilherme Velloso, cardiologista da Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo e Juliana Soares, cardiologista do Hospital Israelita Albert Einstein (SP). 

Reportagem: Samantha Cerquetani

Edição: Bárbara Paludeti

Publicado em 17 de março de 2021