PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

França faz campanha contra síndrome do 'bebê sacudido'; gesto pode matar

iStock
Imagem: iStock

17/01/2022 12h48

De acordo com estimativas das autoridades francesas e de associações do país, entre 200 e 500 crianças seriam vítimas desse tipo de violência todos os anos na França.

Para alertar sobre as consequências desse gesto, que incluem sequelas graves, o governo francês lança uma campanha nesta segunda-feira (17) que visa sensibilizar a população, lembrando que uma em cada dez crianças morre em decorrência dos chacoalhões.

Os dados exatos relativos à síndrome do bebê sacudido, na realidade, são desconhecidos no país: não existem estudos oficiais que permitam quantificar o número exato de vítimas, segundo a associação francesa "Stop Bébé Sécoué". Na maioria dos casos, os bebês têm menos de um ano e aproximadamente 75% das vítimas ainda não chegaram aos seis meses de idade. Os maus-tratos ocorrem, principalmente, entre 4 e 8 meses.

O clipe do governo francês, que pode ser visto na internet a partir desta segunda-feira, lembra que, todos os dias, um bebê é vítima da síndrome e pode morrer ou ter sequelas para o resto da vida. Entre elas, atraso no desenvolvimento, epilepsia, cegueira, ou problemas motores, de fala ou de atenção.

O vídeo foi criado pela Secretaria de Estado encarregada da infância e das famílias e visa informar sobre a síndrome, que também tem o nome de traumatismo craniano não-acidental. Ela recebe esse nome quando um adulto chacoalha um bebê ou uma criança pequena com o intuito de fazê-lo parar de chorar.

Violência extrema

O vídeo da campanha, que visa alertar mas também apresentar soluções preventivas, não mostra cenas chocantes. O plano é focalizado em uma babá eletrônica na cozinha, que emite a voz de um pai irritado com o choro da criança e que diz, aos gritos: "não aguento mais, você acaba com minha vida, só sabe chorar o tempo todo!". A frase é seguida de um longo silêncio.

"O gesto é de uma violência extrema e não se compara a outras situações do cotidiano, nem com brincadeiras como jogar uma criança para cima, por exemplo", explica a médica francesa Anne Laurent-Vannier, que presidiu o grupo de trabalho que estudou o tema na Alta Autoridade da Saúde francesa.

"Esse gesto provoca uma hemorragia em torno do cérebro e pode provocar uma parada cardiorrespiratória, falta de oxigênio, e lesões cerebrais irreversíveis", detalha.

"Os adultos que perdem a paciência com um bebê devem buscar ajudar", insistem os autores da campanha, que será transmitida pelo YouTube, em plataformas de streaming, redes sociais e canais de TV.

Os especialistas aconselham os pais a deixarem o quarto se estiverem prestes a perder o controle, deixando o bebê deitado de costas, "já que não há nenhum perigo em deixá-lo nessa posição", acrescenta a especialista francesa. De acordo com dados publicados em 2017 pela Alta Autoridade da Saúde, um de cada dez atos de violência foi cometido por um adulto vítima da síndrome.

* Com informações da AFP

Saúde