PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Não negligencie: pálpebras, genitais, orelha e umbigo precisam ser lavados

iStock
Imagem: iStock

Pedro Oliveira

Colaboração para VivaBem

19/05/2022 04h00

Não faltam produtos que prometem um rosto liso e hidratado. Ou um cabelo sedoso e forte. Mas, para muita gente, partes do corpo triviais passam batidas na hora do banho —ou não são lavadas como deveriam. A reportagem de VivaBem lista abaixo alguns desses locais e explica o que pode acontecer se a higiene não for feita como se deve.

Pálpebras

Pálpebra caída - iStock - iStock
Imagem: iStock

Engana-se quem pensa que essa região só exige cuidados de quem usa maquiagem. É fato que ao usar sombra, iluminador, delineador, entre outros produtos, é necessário fazer a remoção porque se não o risco de entupimento das glândulas que produzem gordura e suor aumentam.

Mas mesmo para quem não tem o hábito de se maquiar, as pálpebras são regiões sensíveis que podem acabar acumulando gordura. A falta de higiene nessa região acaba aumentando a probabilidade de infecções locais como terçol, conjuntivite e alguns tipos de blefarite.

Em casos extremos, as blefarites —inflamação nas pálpebras— mal controladas podem acabar gerando infecção na córnea, com prejuízo importante à visão, e até mesmo demandar o transplante de córnea.

E a limpeza das pálpebras é simples: a lavagem com um xampu infantil neutro nas margens palpebrais e nos cílios é suficiente para manter a higiene da região.

Genitais

  • Pênis
homem segurando pênis - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

Arlindo Caravalho, urologista e professor da UFPB (Universidade Federal da Paraíba), ressalta que a falta de higiene do pênis pode estar associada a uma cultura de desinformação: "O que muitas vezes acontece é que não vem essa orientação para que se lave ou que se higienize a região peniana, isso geralmente vem da cultura familiar".

Essa falta de orientação e, consequentemente, de higiene, pode acabar gerando infecções fúngicas, conhecidas como candidíases. Além disso, o acúmulo de esmegma —substância branca produzida pelas glândulas penianas— pode causar alterações na pele, se transformar em úlceras e até câncer. A amputação do pênis pode ser a última oportunidade para interromper a propagação da doença.

Problemas graves que poderiam ter sido resolvidos com água e sabão. Para a higiene correta do pênis é necessário retrair o prepúcio —pele que circunda a glande— e lavar a região internamente. Em alguns casos, a limpeza completa fica difícil quando a pessoa tem um quadro de fimose em que não se consegue expor totalmente a glande. Neste caso, o médico deve ser consultado para avaliar a necessidade de uma cirurgia.

  • Vulva
Vulva, vagina - iStock - iStock
Imagem: iStock

A falta de higiene dos genitais femininos pode favorecer maus odores e infecções. E é comum a formação de esmegma —secreção que surge entre as dobras dos pequenos lábios.

É necessário salientar que a região vaginal —a parte interior— não deve ser limpa. Por isso, esqueça a ducha vaginal que pode alterar o pH da região —isso vai desequilibrar o ecossistema e propiciar inflamações e infecções.

A higiene correta pode ser feita com água e um sabonete íntimo —mas ele nem sempre é necessário, só água ou água e um sabonete líquido de glicerina também são opções—, espume bem a região pubiana, depois as virilhas, entre os lábios e na entrada da vagina. O enxágue deve ser feito sempre na direção da vagina para a região anal, evitando levar resquícios à região íntima, essa regra também vale no uso dos papéis higiênicos.

Atrás da orelha e umbigo

Umbigo, barriga - iStock - iStock
Imagem: iStock

A orelha e o ouvido são regiões que muita gente se lembra de cuidar. Quem aí não tem um pacote de hastes flexíveis no banheiro? Mas atrás da orelha há quem se esqueça, e o acúmulo de sujeira nessa área pode inclusive gerar infecções. Em países com temperaturas altas, como o Brasil, a higiene nas áreas de dobras demanda atenção especial.

O umbigo é outra parte do corpo que pode passar batido durante o banho. Por ele ter reentrâncias, pode ocorrer o acúmulo de sujeira, causando algumas irritações e infecções locais.

É muito comum que as pessoas percebam certos 'fiapos' no umbigo, que são restos dos tecidos que se desgrudam das roupas. Muitas pessoas acabam coçando essa região, e esse atrito pode provocar microerosões que podem acabar infectando a região com essas sujeira provocando abscessos —também chamados de cistos.

A limpeza é simples: lavar a região do umbigo com sabonete, inserindo o dedo na região. Em seguida, nunca se esqueça de realizar uma secagem adequada, evitando também as infecções fúngicas.

Fontes: Mário Martins dos Santos Motta, presidente da Associação Brasileira de Oftalmologia; Arlindo Monteiro de Carvalho Jr, urologista professor da UFPB (Universidade Federal da Paraíba); Reinaldo Tovo, dermatologista do Hospital Sírio-Libanês (SP); Leonardo Abrucio Neto, dermatologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo; e Luciano Canuto, ginecologista do Hospital Universitário da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) e da UFPB.

Saúde