PUBLICIDADE

Topo

Pesquisadores apontam estratégia que ensina crianças a comer mais vegetais

Nem sempre é fácil incluir verduras, legumes e frutas na rotina das crianças - iStock
Nem sempre é fácil incluir verduras, legumes e frutas na rotina das crianças Imagem: iStock

Luiza Vidal

De VivaBem, em Maastricht (Holanda)*

06/05/2022 11h10

Nem sempre é fácil incluir verduras, frutas e legumes na rotina das crianças. Mas parece que pesquisadores da Universidade de Maastricht, na Holanda, conseguiram encontrar uma boa estratégia para fazer com que isso aconteça.

De acordo com os autores do estudo, divulgado nesta quinta-feira (5), durante o Congresso Europeu de Obesidade, realizado em Maastricht, as crianças ficam mais dispostas a comer vegetais se elas recebem algum tipo de recompensa por experimentá-los —e isso não pode ser uma sobremesa, por exemplo.

"É importante começar a comer vegetais desde cedo", disse a autora do artigo, Britt Van Belkom, do Programa de Juventude, Alimentos e Saúde da universidade. "Sabemos de pesquisas anteriores que as crianças pequenas normalmente precisam experimentar um novo vegetal oito a dez vezes até gostar."

Como o estudo foi feito

Os autores analisaram 598 crianças, com idades de 1 a 4 anos, dos centros escolares em Limburg, na Holanda, que participaram do The Vegetable Box. "Neste programa, as crianças são expostas aos vegetais todos os dias nas creches", explica Van Belkom, em entrevista à imprensa.

O programa oferece um método cientificamente comprovado para estimular o consumo desses alimentos, fornecendo aos educadores e funcionários pedagógicos ferramentas práticas para integrar vegetais como um lanche diário das crianças —tanto em casa, quanto na escola.

Com isso, os pesquisadores separaram as crianças, de forma randomizada, em três grupos:

  1. Exposição ao vegetal, com recompensa;
  2. Exposição ao vegetal, mas sem recompensa;
  3. Grupo controle (sem exposição/sem recompensa).

As crianças dos primeiros dois grupos tiveram a chance de experimentar uma variedade de vegetais todos os dias em que estiveram na escola, por três meses.

O conhecimento dos vegetais e a vontade de provar foram medidos antes da exposição aos alimentos e após o período de intervenção da pesquisa.

Criança asiática comendo brocólis - Istock - Istock
Imagem: Istock

Um outro ponto importante, que a autora fez questão de destacar, é que a recompensa não poderia ser uma outra comida, como uma sobremesa. Para o estudo, eles selecionaram presentes divertidos, como adesivos, cartões ou coroas (de rei ou rainha) de brinquedo.

Os vegetais escolhidos para testar o conhecimento dos pequenos foram: tomate, alface, pepino, cenoura, pimentão, cebola, brócolis, ervilhas, couve-flor, cogumelos, feijão verde, chicória, abóbora e aspargo.

Reconhecendo os alimentos

Os cientistas testaram o conhecimento dos participantes mostrando os 14 vegetais e, em seguida, perguntando quanto eles poderiam nomear —a pontuação máxima era de 14.

No pré-teste no grupo controle, as crianças conseguiram identificar cerca de 8 vegetais e, depois de três meses, o número aumentou para quase 10.

Já entre os participantes do grupo de "exposição ao vegetal, mas sem recompensa" e do grupo de "exposição/recompensa", no pré-teste, as crianças conseguiram nomear cerca de 9 vegetais e, depois do período avaliado, 11.

Experimentando os vegetais

O consumo dos alimentos foi medido oferecendo aos pequenos a chance de provar pedaços pequenos de seis vegetais —tomate, pepino, cenoura, pimentão, rabanete e couve-flor— e contando o quanto eles estavam dispostos a provar. Nesta etapa, a pontuação máxima era de 12.

No pré-teste, eles estavam dispostos a experimentar cerca de 5 a 6 vegetais em todos os grupos. No grupo com recompensa, esse número aumentou para 7. Já no grupo de controle e sem recompensa, o índice permaneceu o mesmo.

"Apenas quando elas são expostas aos vegetais e são recompensadas por isso, você consegue ver um aumento significativo na tentativa de experimentar os alimentos após 3 meses", diz a autora do estudo.

"Oferecer regularmente vegetais a crianças em creches aumenta significativamente sua capacidade de reconhecer vários dos alimentos. Mas recompensar as crianças por provar vegetais parece também aumentar sua disposição de experimentar diferentes vegetais", disse.

criança comendo salada, alimentação saudável, alimentação infantil - iStock - iStock
Imagem: iStock

A importância em criar hábitos desde cedo

Em conversa com VivaBem, a pesquisadora Britt Van Belkom explicou que esse tipo de sistema de recompensa pode ter uma boa influência (e não negativa) quando as crianças são expostas de formas repetidas.

"Se você repetir essa exposição, nós esperamos que essas crianças, com o tempo, e sem nenhuma recompensa, possam continuar comendo vegetais", afirma. Desta forma, evitando que elas cresçam "mal acostumadas" a sempre receber algo em troca.

"A gente já observa esse tipo de sistema com o ato de ir ao banheiro quando eles são menores. Depois de um tempo, eles deixam de precisar de uma recompensa para fazer isso", diz. É a mesma lógica de criar um hábito saudável. Com o tempo, tende a ser algo natural.

*A repórter viajou a convite da Novo Nordisk.