PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Obesidade aumenta risco de morte por câncer de próstata, mostra estudo

Korrawin/iStock
Imagem: Korrawin/iStock

Luiza Vidal

De VivaBem, em Maastricht (Holanda)*

04/05/2022 19h01

A obesidade é uma doença que pode causar diversos problemas de saúde. E segundo um novo estudo publicado nesta quarta-feira (4), no periódico BMC Medicine, homens com obesidade têm maior risco de morte causada pelo câncer de próstata. Os resultados foram apresentados no Congresso Europeu de Obesidade, em Maastricht, na Holanda.

Os pesquisadores descobriram que a cada 10 cm (3,9 polegadas) na cintura de um homem, os riscos de morte por câncer de próstata aumentam em 7% —o mesmo se aplica para a gordura corporal como um todo.

No entanto, segundo a autora do estudo Aurora Perez-Cornago, da Unidade de Epidemiologia do Câncer, da Universidade de Oxford, no Reino Unido, ainda não está claro quais são os mecanismos responsáveis por essa relação que não é de causalidade. "Temos algumas hipóteses que podem estar relacionadas ao metabolismo", disse, em entrevista à imprensa nesta quarta (4).

Uma outra hipótese citada pela médica é a falta de procura médica por parte das pessoas com obesidade (por diversos motivos, como estigma e preconceito), além do tamanho da próstata (que pode ser maior neste grupo), entre outros fatores biológicos. É provável também que as diferenças na detecção desempenhem um papel relevante.

"Em todo caso, esses achados mostram os benefícios para que os homens mantenham um peso saudável", falou a pesquisadora.

Como o estudo foi feito

O estudo (uma metanálise) incluiu informações de 2,5 milhões de homens do Reino Unido de 19 estudos nos bancos de dados do PubMed, Embase e Web of Science, assim como informações de uma nova análise de dados de mais de 200 mil homens no estudo do UK Biobank.

A adiposidade (excesso de gordura no corpo) foi aferida no início de cada estudo, com até quatro medidas diferentes usadas:

  • Índice de massa corporal (IMC, medida de gordura corporal baseada no peso e na altura, disponível para 19.633 homens que morreram posteriormente de câncer de próstata);
  • Circunferência da cintura (3.181 mortes);
  • Relação da cintura/quadril (1.639 mortes);
  • Percentual de gordura corporal (670 mortes).

Quais foram os resultados?

Maiores quantidades de gordura corporal (adiposidade) foram associadas a maior probabilidade de câncer de próstata fatal, ou seja, com desfecho de morte.

Um aumento de cinco pontos no IMC sobe em 10% o risco de morte pela doença, enquanto um aumento de 5% no percentual de gordura corporal total faz o risco de morte subir em 3%.

Para adiposidade central, o risco foi parecido. Cada acréscimo de 0,05 na proporção cintura/quadril aumentou o risco de câncer de próstata fatal em 6%. E a cada 10 cm de aumento na circunferência da cintura elevou o risco de morte a 7%.

Os pesquisadores também calcularam que haveria, por ano, cerca de 1.300 mortes a menos pela doença no Reino Unido se o IMC médio dos homens fosse cinco pontos menor. No país, o câncer de próstata é o mais comum em homens, com cerca de 52 mil casos por ano. É também a segunda causa mais comum de morte por câncer em homens naquele país, com quase 12 mil anualmente.

Por que este estudo é importante

De acordo com a autora do estudo, apesar de o foco da pesquisa ser no câncer de próstata, o resultado mostra a importância em manter um peso considerado saudável para evitar problemas de saúde, como diabetes e hipertensão. Além disso, a doença é um fator de risco que pode ser tratado ao longo da vida, diferente de outras condições como histórico familiar e etnia.

Para Amélio Godoy Matos, endocrinologista, professor da PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro) e ex-presidente da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia) e da Abeso (Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica), não envolvido no estudo, o resultado é importante para trazer mais informações baseadas em ciência. O especialista chama a atenção de que a obesidade também pode ser fator de risco para outros cânceres.

"Normalmente, os cânceres do sistema genital e urinário podem estar associados com obesidade. Quando falamos 'associados' quer dizer que não necessariamente o câncer é causado por isso [obesidade]", diz.

Por fim, Perez-Cornago explica que mais pesquisas são necessárias para determinar a associação entre a obesidade e o câncer de próstata. Mas a mensagem geral é que os achados são mais uma razão para que pessoas com próstata mantenham um peso saudável.

*A repórter viajou a convite da Novo Nordisk.

Saúde