PUBLICIDADE

Topo

Conexão VivaBem

Dicas para ajudar a cuidar do corpo, da mente e da alimentação de forma descomplicada


Carboidratos, jejum, termogênicos: nutricionista esclarece mitos de dietas

Colaboração para VivaBem

29/04/2022 11h00

Na pressa por emagrecer, muita gente acaba fazendo as chamadas dietas milagrosas ou muito restritivas e acreditando em alguns mitos sobre o assunto. No segundo episódio da terceira temporada do Conexão VivaBem a nutricionista Lara Natacci fala das crenças e dos mitos mais frequentes que envolvem o assunto dieta.

Como identificar se uma dieta é restritiva?

Quando ela tem muito menos calorias do que a gente gostaria ou necessita para manter o bom funcionamento do organismo.

Por que as pessoas querem emagrecer muito rápido?

Porque as pessoas são imediatistas e acabam sendo seduzidas pela proposta das dietas restritivas. Segundo Lara, quando a pessoa ouve que uma dieta milagrosa vai eliminar 10 kg em uma semana ou 10 dias, é difícil para ela, que deseja emagrecer e que a toda hora é confrontada por um padrão de beleza, não ceder à tentação.

No curto prazo, a dieta restritiva vai funcionar e a pessoa vai emagrecer, mesmo que à base de sofrimento, o problema é lá na frente: "Ninguém está preocupado com o longo prazo".

Lara diz que há muitos riscos, principalmente os relacionados ao acúmulo de gordura e o de emagrecer e voltar a engordar (efeito sanfona), o que é ruim. O tempo de emagrecimento considerado saudável depende do indivíduo e do metabolismo, mas as recomendações são de 10%, 15% do peso da pessoa em seis meses.

Qual o principal mito de uma dieta restritiva?

Achar que vai manter o peso que emagreceu. "É muito difícil isso acontecer, 80% das pessoas recuperam o peso perdido depois de 2 a 5 anos de uma dieta restritiva, ou seja, só 20% conseguem manter", comenta a nutricionista.

Quais os malefícios das dietas restritivas?

A falta de nutrientes. O organismo precisa de nutrientes para o metabolismo e o intestino funcionarem bem e também para uma pele e imunidade boas. "Na ausência de nutrientes específicos, o organismo não vai funcionar direito, pode ter alguma doença, mal-estar, ter tontura, fraqueza, falta de disposição. Até o humor pode mudar, porque faltam nutrientes para o funcionamento cerebral ser ok. Ocorre a perda de massa muscular e a pessoa pode ficar com flacidez, que é uma das consequências de uma dieta restritiva", enumera a nutricionista.

Comer carboidrato à noite engorda?

Não, isso é um mito. Podemos comer carboidrato em todas as situações e em todos os períodos do dia, incluindo o jantar.

Apesar de as pessoas verem o carboidrato como o vilão da dieta, a nutricionista dá algumas dicas, como priorizar e consumir carboidratos mais ricos em fibras, que dão mais saciedade, contribuem para o metabolismo e funcionamento do intestino, ajudam a prevenir doenças e que tem mais nutrientes, vitaminas e minerais.

O jejum é sempre um grande aliado da dieta?

A resposta é: depende, cada caso deve ser individualizado. Se você é uma pessoa que costuma jantar um pouco mais cedo e não tem o hábito de tomar café da manhã, você já faz o jejum intermitente, que é ficar de 14h a 16h sem comer. Se esse é o seu caso, ok.

Agora, se você geralmente come e dorme um pouco mais tarde, e tem o hábito de tomar café da manhã, muitas vezes fazer o jejum intermitente pode ser uma agressão ao seu corpo.

Além disso, você pode não conseguir manter o protocolo que é ter refeições balanceadas ao longo do dia, ou seja, você até consegue ficar em jejum por um tempo, mas depois compensa nas outras refeições, o que não adianta nada.

"A gente realmente tem bons resultados em indicadores metabólicos para algumas estratégias de alimentação. Mas precisamos ver se é compatível com a vida da pessoa e como são os outros hábitos, porque não se trata só da alimentação, mas também do sono, exercício físico, gestão de estresse, a forma de comer, o ambiente e a genética", afirma Natacci.

Um cardápio cheio de alimentos light e diet é perfeito para perder peso?

Outro mito. Lara explica que um nutriente presente num produto/alimento diet pode ser substituído por outro e o valor de energia ser exatamente o mesmo. Ela dá como exemplo o diet indicado para uma pessoa com diabetes: não vai ter açúcar, mas vai ter mais gordura.

Uma outra situação é que muitas vezes a pessoa opta por diet e light, mas come o dobro ou o triplo da quantidade.

Beber água com limão em jejum emagrece?

"Não, senão estava todo mundo magro", diz a nutricionista que afirma não ter nenhuma comprovação científica relacionada à perda de peso.

A especialista cita que o limão é rico em vitamina C e tem bastante antioxidantes, o que é bom, mas por outro lado, o ácido do limão pode ser prejudicial para o esmalte dos dentes, uma discussão que tem sido trazida por muitos dentistas.

Termogênicos ajudam a perder peso?

Alimentos termogênicos, como café, pimenta e gengibre, são aqueles que dão um pouco mais de trabalho para o corpo e gastam um pouco mais de calorias para serem digeridos.

Só que esse gasto adicional é pequeno e não representa nem 2% do gasto calórico total do dia. "Os estudos dizem que eles não vão fazer diferença em relação à mudança de hábitos do que a gente come, é muito pouco. Não podemos considerar isso uma vantagem desses alimentos para emagrecer", diz Lara.

Comer várias vezes ao dia é melhor que pular refeição?

Depende. Para a pessoa que está acostumada a fazer três refeições ao dia, café da manhã, almoço e jantar, se ela acrescentar lanchinhos para fracionar mais a alimentação, ela estará aumentando a quantidade de calorias e com isso pode ser que ela engorde.

Com 30 anos de prática de consultório, a nutricionista Lara percebe que a maioria das pessoas que fica muito tempo sem comer fica mais ansiosa e exagera na próxima refeição. "Nesse caso, vale a pena planejar um lanchinho e mexer na próxima refeição para comer um pouco menos."

Fique ligado nos próximo episódios

Toda semana, convidados especiais e especialistas vão conversar com a Mari sobre saúde, alimentação e equilíbrio mental de um jeito leve e divertido. Fique ligado em VivaBem e em nossas redes sociais para acompanhar a programação.