PUBLICIDADE

Topo

A água de arroz é boa para hidratar pele e cabelos?

Priscila Barbosa
Imagem: Priscila Barbosa

Cecilia Felippe Nery

Colaboração para VivaBem

27/04/2022 04h00

O arroz é o grão mais popular no mundo e o principal alimento básico para mais da metade da população mundial. Suas propriedades nutricionais são significativas, podendo ainda ser utilizado para fins cosméticos.

Na cultura oriental, por exemplo, o arroz é consumido há milhares de anos e também usado na área da saúde e da beleza para o clareamento da pele. "O ideal é que seja utilizado um arroz natural, integral ou orgânico, sem adição de agrotóxicos", acrescenta.

O arroz contém aminoácidos, antioxidantes, vitamina E, entre outras substâncias que são extremamente benéficas para a pele e para o cabelo, de acordo com Ana Claudia Petkevicius, esteticista e cosmetóloga.

"Existe também um derivado do arroz, que é o ácido kójico, e ele realmente apresenta potencial clareador. Dessa forma, a água utilizada no preparo do alimento é um produto natural para a pele", informa a dermatologista Fabiane Mulinari Brenner.

Existem muitas indicações para o uso da água de arroz no conhecimento popular, porém muitos dos benefícios atribuídos ao seu uso não têm comprovação científica.

"Tecnicamente, a água de arroz obtida a frio [após lavagem] contém ingredientes hidrossolúveis, como vitaminas do complexo B e amido; a água obtida do cozimento do arroz apresenta outras propriedades e componentes, assim como a água de arroz fermentada, esta última apresenta uma composição mais ativa", explica Alberto Keidi Kurebayashi, farmacêutico-bioquímico.

Por ser uma fonte rica de compostos fenólicos e anti-inflamatórios, os benefícios água de arroz vão além do uso na pele e nos cabelos. "A água de arroz é muito usada para a melhora da flora intestinal, como soro na recuperação após comorbidades, como dengue e gripes, mas lembrando que estas são receitas caseiras usadas pelos nossos antepassados e é sempre fundamental dar uma atenção especial a todas as instruções para não pecar pelo excesso e nem pela possível contaminação da água", aconselha Petkevicius.

Ação no rosto e nos cabelos

As propriedades antioxidantes da água de arroz combatem os radicais livres, moléculas instáveis que destroem as células, sendo uma das principais causas de envelhecimento cutâneo. "As propriedades do arroz entram em contato com a pele e neutralizam os radicais livres, não permitindo que as células oxidem, por isto o efeito clareador e hidratante após a aplicação na pele", afirma Petkevicius.

De acordo com a esteticista, todos os componentes mencionados favorecem a hidratação, diminuição do frizz e até fortalecem os fios de cabelo, estimulando seu crescimento mais saudável.

Já Kurebayashi lembra que o efeito físico do amido sobre os cabelos contribui para a sedosidade, desembaraço e condicionamento. "Se aplicado em forma de pó pode ser um interessante absorvedor de oleosidade dos cabelos, deixando-os com aspecto de limpo, soltos e maleáveis, além de controlar o frizz", reforça.

Cuidados e contraindicações

A água de arroz tem compostos fenólicos, antioxidantes e derivados de vitaminas, como já foi mencionado, mas vale apontar alguns cuidados que precisam ser observados na sua utilização para fins cosméticos.

"Apesar de ser um produto natural, não podemos descartar a possibilidade de o usuário desenvolver dermatite de contato e alergias, assim é sempre recomendável que a utilização seja orientada por um médico dermatologista", aconselha Brenner.

Por ser um produto natural, não se fala em contraindicação, mas, sim, cuidados básicos para não prejudicar a saúde. "Se a pele e os cabelos forem ressecados, convém evitar o uso da água de arroz mais de uma vez na semana, pois o excesso de água na superfície da pele pode desidratar, assim como quando ficamos muito tempo na piscina", compara Petkevicius.

Para Kurebayashi, apesar de existirem várias receitas e testemunhos do efeito clareador da água de arroz, eles devem ser avaliados com muita atenção. Isto porque, a água de arroz a frio, quando deixada em descanso, forma um pó, separado e seco, que pode atuar como um talco para a absorção de oleosidade, dando um efeito matificante na pele. A deposição do amido branco dará o efeito superficial clareador.

"É fundamental destacar que se trata de uso de um ativo derivado de um alimento que não foi preparado adequadamente para ser usado como um cosmético, diferentemente de produtos desenvolvidos por empresas cosméticas que utilizam água de arroz com processos industriais", adverte o farmacêutico-bioquímico.

Conforme Kurebayashi, um dos pontos que mais devem ser levados em conta é o aspecto microbiológico. "Usar imediatamente a água de arroz para lavar o rosto ou os cabelos não traz riscos, porém guardá-la para uso posterior é contraindicado, pois essa água é muito suscetível a uma contaminação microbiana", adverte.

"Os benefícios obtidos pela água de arroz fazem parte da crença popular, mas não significa que seja totalmente segura, cada pessoa é um organismo único e responde de maneira particular, em problemas mais críticos, consulte sempre um dermatologista ou faça uso de produtos cosméticos desenvolvidos por empresas com expertise", alerta Kurebayashi.

Estudos

Conforme Brenner, existem alguns estudos relacionados não especificamente à água de arroz, mas, sim, ao ácido kójico como inibidor da melanogênese e formação de manchas, especialmente na doença que se chama melasma ou cloasma.

Por outro lado, Cabral aponta a existência de alguns estudos e pesquisas explorando os compostos do arroz em cosméticos. "Ainda são escassas as evidências científicas publicadas a respeito dos benefícios do consumo terapêutico ou estético da água do arroz propriamente dita", afirma.

"Vale ainda refletir sobre a importância dos estudos e cientificidade dos cosméticos para verificar se os ativos neles presentes são seguros e com eficácia comprovada", diz Petkevicius.

Como preparar

Não há um consenso na literatura quanto ao preparo da água de arroz. Encontra-se quem explore a água do remolho do arroz cru, bem como quem cozinhe o arroz e coe a água do cozimento. Seja como for, vale destacar que ao lavar ou retirar a água do cozimento do arroz, o mesmo pode perder algumas propriedades nutricionais.

Existem algumas formas de preparar a água de arroz —e aqui vale lembrar que ela deve ter aspecto leitoso, por conter parte do amido, das vitaminas e dos antioxidantes do arroz. Assim, não use a água de arroz depois que foi misturada com óleo ou sal, apenas a utilizada com arroz puro.

Petkevicius sugere uma fórmula caseira que pode auxiliar nos dias estressantes, e bem fácil de preparar. Veja:

Ingredientes
- 5 colheres (sopa) de arroz
- 300 ml de água mineral
- 1 sachê de chá de camomila e 100 ml de água mineral para o preparo do chá

Modo de preparo
Em uma caneca com tampa coloque as 5 colheres de arroz e os 100 ml de chá de camomila já na temperatura ambiente. Logo após, despeje os 300 ml de água mineral, tampe bem e leve à geladeira por 24 horas. Passado o período, coe a água e está pronta. Pode aplicar no rosto com um algodão depois de lavá-lo com água, deixando agir na pele por 10 minutos.

"Depois desse tempo, lave o rosto com água e siga com seus cosméticos diários", recomenda a esteticista.

Essa receita também pode ser utilizada nos cabelos, após a lavagem com o xampu de preferência. "Deixe por 10 minutos, enxágue com água morna e aplique o condicionador. Existe a opção de deixar em um borrifador e usar da mesma forma. Importante manter a água de arroz na geladeira e desprezar após dois dias", completa Petkevicius.

Uma outra forma, de acordo com Brenner, é preparar a água com arroz integral e orgânico. "Deixar o arroz um tempo de molho e, após a fervura, remover a água —a primeira que contém os nutrientes— e aplicar no rosto", sugere a dermatologista.

Fontes: Alberto Keidi Kurebayashi, farmacêutico-bioquímico, vice-presidente técnico da ABC (Associação Brasileira de Cosmetologia) e diretor da Protocolo Consultoria em Dermocosméticos; Ana Claudia Petkevicius, esteticista e cosmetóloga, coordenadora científica dos Congressos Internacionais de Estética do Grupo Estética in (São Paulo, Rio de Janeiro e regiões Sul e Nordeste); Denise Cabral Bonfim, nutricionista do Irga (Instituto Riograndense do Arroz), pós-graduada em comportamento alimentar, pós-graduanda em nutrição clínica e hospitalar do paciente crítico adulto e pediátrico; Fabiane Mulinari Brenner, médica dermatologista, professora de dermatologia da UFPR (Universidade Federal do Paraná) e coordenadora do Departamento de Cabelos e Unhas da SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).