PUBLICIDADE

Topo

Como Consegui

Histórias de quem mudou hábitos em busca de mais saúde


Ele perdeu 44 kg em um ano sem deixar de comer pizza às sextas-feiras

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Thamires Andrade

Colaboração para VivaBem, em São Paulo

20/01/2022 04h00

Carlos Antonio Cardoso Sobrinho, 39, se considerava um "gordo saudável", pois seus exames médicos não apresentavam problemas. Porém, o professor de administração viu que a obesidade, por si só, já é uma doença, que gera complicações em longo prazo. Então, decidiu mudar hábitos, estudou sobre alimentação e foi de 127 kg para 83 kg:

"Sempre fui uma criança gordinha, mas nunca encanei com a questão de peso, nem mesmo na adolescência. Não era uma pessoa que vivia fazendo exercícios, mas também não era totalmente sedentário. A alimentação desregrada e o fato de não querer comer verduras e frutas era o que mais me prejudicava.

Aos 18 anos, fui servir ao Exército e acabei emagrecendo muito. Minha rotina era muito intensa e mal tinha tempo para comer direito. Ao mesmo tempo, estava me movimentando mais no trabalho e também nas atividades obrigatórias do quartel. Então, sequei bem o corpo.

Como Emagreci Carlos - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Mas, quando sai do Exército, voltei a comer mais e praticar menos exercícios. Também passei a abusar da cerveja, bebia de três a quatros vezes por semana. E sempre tinha alguma porção supercalórica para acompanhar a bebida.

Tudo isso fez com que fosse engordando aos poucos até chegar no maior peso de minha vida: 127 kg (sendo que meço 1,74 m de altura). Ao longo desse caminho, tentei de tudo para perder peso. Em todos os dias 1º de janeiro eu fazia a promessa de que aquele seria o ano do meu emagrecimento. Pagava adiantado seis meses de academia, pesquisava sobre dietas e iniciava o processo. Mas, depois de duas ou três semanas, já desistia.

O estalo para emagrecer não veio por questões estéticas, como acontece com muita gente. Até então, eu era um 'gordo saudável', já que todos os meus exames sempre estavam em ordem. No entanto, fui fazer um check-up periódico por conta do trabalho e o médico abriu o jogo comigo. Disse que meus exames realmente estavam ótimos, mas que eu era uma bomba relógio, pois o excesso de peso estava judiando do meu corpo [a obesidade gera um estado inflamatório no organismo e, em longo prazo, eleva o risco de doenças e reduz a expectativa de vida em 3 a 10 anos].

Como Emagreci Carlos - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Só conseguia pensar na minha filha e esposa e no tempo que ainda queria ter com elas. A primeira coisa que fiz foi decidir que, dessa vez, buscaria algo diferente para perder peso. Afinal, não adiantava apostar nas tentativas anteriores, que não deram certo.

As minhas principais táticas foram não adotar uma dieta restritiva e não ter uma mentalidade imediata. Antes, eu sempre queria perder 20 kg, 30 kg rapidamente e, como em dois ou três meses não chegava nem perto disso, desistia.

Com a consciência de que seria um processo lento, resolvi usar a experiência que tenho como professor para buscar informações sobre emagrecimento, cruzar os dados e entender o que funcionaria para mim. Estudei por conta própria, de forma despretensiosa. Ao todo, foram mais de mil horas lendo artigos, assistindo a vídeos etc.

Mergulhei tão fundo no assunto que me apaixonei por nutrição e comecei a cursar a faculdade, já estou indo para o quinto período! Entendi que era importante ter uma alimentação individualizada, não seguir uma 'dieta modinha' ou copiar o cardápio que deu certo para um amigo.

Como Emagreci Carlos - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Entender mais sobre alimentação saudável e como o que consumimos interfere na saciedade e imunidade me deu força para adequar minha dieta. Primeiro, montei o cardápio com base na meta de calorias, sem restringir alimentos ou macronutrientes (carboidrato, gordura e proteína), mas seguindo alguns critérios, como não beber cerveja todos os dia.

Criei a consciência de que podemos comer de tudo, a diferença entre o veneno e o remédio é a quantidade

Usava o aplicativo My fitness pall para controlar a minha ingestão calórica e foi ótimo. No primeiro mês, já emagreci 10 kg. Depois, fui mexendo na qualidade dos alimentos e ajustando os macronutrientes. Aumentei a proteína, reduzi a gordura e fui ajustando a quantidade de carboidrato.

No fim, não precisei deixar de comer nada. Emagreci comendo pizza todas as sextas-feiras, consumindo arroz, feijão, carne, legumes e verduras. O segredo foi não exagerar na quantidade e na frequência do que sabia que era pouco saudável.

Foi libertador ver que não precisava comprar damasco, tâmara e arroz integral para emagrecer. Minha maior mudança foi começar a comer frutas e vegetais. Tive que realmente treinar o paladar, porque era algo que não gostava. Agora, como cerca de 500 gramas de frutas e vegetais todos os dias.

Como Emagreci Carlos - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Em quatro meses, perdi 20 kg sem fazer exercício físico. Apesar do ótimo resultado só com dieta, eu me arrependo muito de não ter começado a treinar antes, pois estaria com uma composição corporal (percentual de músculos e gordura) bem melhor.

Mudei minha mentalidade sedentária e, além de começar a fazer musculação, busquei formas de me movimentar no dia a dia. Larguei o carro e comecei a andar mais a pé. Também aboli o elevador e passei a usar somente a escada. Hoje, treino pelo menos cinco vezes na semana —mantive esse ritmo mesmo durante a pandemia, fazendo exercícios em casa quando as academias e parques fecharam.

Ao todo, eliminei 44 kg em um ano e mantenho meu peso há um ano e meio. O mais importante para mim foi ter um emagrecimento sustentável. Em um processo de perda de peso, tem momentos que você fica mais focado, já em outros não. Penso que, depois de um deslize, o importante é conseguir voltar a fazer o que é certo e ter em mente que nunca vou engordar como antes, pois já conheço o melhor caminho.

Hoje, não fico mais ofegante por qualquer coisa, compro as roupas que eu quiser, me sinto à vontade para sair com a minha família e até a qualidade do meu sono melhorou, já que parei de roncar.

Quer emagrecer? Receba um plano gratuito de treino e dieta em seu email

Você quer mudar hábitos, começar a praticar exercícios, ter uma alimentação mais saudável e emagrecer? O VivaBem preparou uma série de newsletters com um programa de treino e uma dieta para perder peso (neste link tem a caixa para você se cadastrar para recebê-las). Ao assinar a newsletter do #ProjetoVivaBem, você vai receber em seu email, ao longo de 12 semanas, um plano completo e gratuito com exercícios, cardápios e dicas para mudar o estilo de vida, que ajudarão a alcançar o objetivo de eliminar gordura corporal, ganhar músculos e, principalmente, adotar hábitos mais saudáveis. Siga nosso programa e compartilhe seu novo dia a dia mais saudável e seus resultados nas redes sociais com a #ProjetoVivabem.