PUBLICIDADE

Topo

Saiba o que são os ingredientes descritos nos rótulos de sucos e chás

iStock
Imagem: iStock

Bruna Alves

Do VivaBem, em São Paulo

17/01/2022 04h00

Há quem prefira tomar sucos e chás, mesmo industrializados, com a intenção de ingerir bebidas mais saudáveis. Para saber se elas de fato são, é importante saber ler o rótulo, que muitas vezes pode estar repleto de palavras difíceis.

Boa parte dos ingredientes presentes nessas bebidas, assim como em alimentos, são aditivos alimentares, componentes adicionados aos produtos com o objetivo de deixá-los visualmente mais atraentes, conservar o sabor e aumentar a durabilidade.

Para esclarecer o que são as principais substâncias presentes nessas bebidas e ajudá-lo a saber o que você realmente está levando para a casa, o VivaBem conversou com especialistas e selecionou as que mais são encontradas nos rótulos de produtos industrializados. Veja a seguir.

Ácido ascórbico: é o nome químico para a vitamina C, que funciona como antioxidante, combatendo radicais livres tanto nas bebidas, ajudando a preservar as suas características sensoriais e nutritivas durante o prazo de validade do produto, como dentro do organismo, participando da imunidade, cicatrização e renovação do colágeno da pele e mucosas.

Acidulante ácido cítrico: encontrado em frutas como limão e laranja, esse ácido pode confundir os consumidores quando adicionado o nome "acidulante" na frente. Porém, apesar da nomenclatura química, ele permanece com a mesma função: tornar o sabor mais ácido. Sua presença também desfavorece o crescimento de microrganismos no produto, reduzindo a perda de nutrientes e trazendo mais segurança.

Adoçantes artificiais: esses aditivos são chamados de edulcorantes e divididos em naturais e sintéticos. A estévia é um exemplo de edulcorante natural com baixo valor energético, o que faz com que ela seja uma substituta comum de açúcar. Outros edulcorantes naturais que têm ganhado bastante espaço por não deixar sabor residual amargo são o xilitol e eritritol.

Já o aspartame, ciclamato, sacarina e sucralose são edulcorantes sintéticos. Embora o seu uso seja controverso, por relatos de toxicidade, a capacidade adoçante deles é tão alta (200 a 600 vezes maior que o açúcar comum), que a quantidade necessária para adoçar é muito pequena. Entretanto, é preciso cuidado. O consumo frequente e em excesso desses produtos pode sim gerar risco.

suco; laranja - iStock - iStock
Quanto menor o rótulo, mais natural (e saudável) é o suco
Imagem: iStock

Metabissulfito de potássio: embora o nome seja complicado, seu significado é simples. Muito usado na fabricação de bebidas à base de frutas para conservá-las, esse é um conservante e antioxidante que tem como função evitar a proliferação de bactérias e leveduras, além de manter características sensoriais da bebida.

Açúcar invertido: comumente encontrado em alimentos ultraprocessados, esse é um xarope químico produzido a partir do açúcar comum. O dano à saúde do açúcar invertido é levemente superior ao do comum, ainda assim, o ideal é dar preferência aos sucos integrais, sem adição de água, qualquer tipo de açúcares ou aditivos, apenas fruta.

Benzoato de sódio: esse é um produto sintético utilizado como conservante, agente antimicrobiano e antifúngico, também muito comum em alimentos industrializados.

Dióxido de silício: esse é encontrado naturalmente em alimentos de origem vegetal e na água potável. Já na indústria, trata-se de mais um aditivo alimentar, também conhecido como antiumectante. Essa é uma substância perigosa apenas quando inalada em formato de pó.

Espessante goma xantana: esse ingrediente é apenas um polissacarídeo (carboidrato) que tem como função estabilizar emulsões ou evitar a separação de partículas sólidas presentes na bebida. A goma xantana é um estabilizante que merece cautela, pois apesar de não engordar, quando consumido em excesso pode causar dor no estômago e cólica intestinal.

Metabissulfito de sódio: é um composto inorgânico utilizado como conservante e antioxidante. Trata-se de mais um aditivo alimentar. Ele pode causar alergias e irritação gástrica, por isso o consumo de bebidas que o contenham não é recomendado, sobretudo, para crianças.

Tartrazina: difícil de compreender do que se trata pelo nome, mas esse é simplesmente um corante, ou seja, substância utilizada para dar cor aos alimentos de forma artificial. Ela pode causar urticária e inchaços. Segundo os especialistas, todas as marcas de produtos que a utilizam em sua composição são obrigadas por lei a informar a presença do corante nos alimentos.

Fontes: Isabela Rosier Olimpio Pereira, farmacêutica, doutora em ciência dos alimentos e professora de farmácia da Universidade Presbiteriana Mackenzie; Lays Rayssa Diniz Pinto, nutricionista pela UFMA (Universidade Federal do Maranhão); Priscilla Efraim, professora da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas); Rodrigo Ramos Catharino, professor da Faculdade de Ciências Farmacêuticas da Unicamp.