PUBLICIDADE

Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Pocah diz que tem crises de ansiedade 'sufocantes'; como é o tratamento?

Pocah fez desabafo sobre ansiedade - Reprodução/Twitter @pocah
Pocah fez desabafo sobre ansiedade Imagem: Reprodução/Twitter @pocah

Do VivaBem*, em São Paulo

23/12/2021 14h26

A cantora Pocah usou as redes sociais, nesta quarta-feira (22), para fazer um desabafo sobre suas crises de ansiedade. Na noite anterior, ela estava na festa da influenciadora Virgínia Fonseca e afirmou que, apesar da alegria que demonstra aos fãs, vem sofrendo com crises "sufocantes", compartilhando inclusive uma foto chorando dentro de um carro, horas antes do evento.

"Quem me vê sorrindo não vê as crises de ansiedade diárias que eu enfrento... Mas é sobre nunca desistir! Tive uma noite incrível, mas o aperto no coração sempre tenta me desestabilizar. Que Deus me dê forças porque eu não vou deixar de lutar para ser feliz! Precisava desabafar", escreveu a artista, ex-"BBB 21", em seu Twitter.

A ansiedade é uma reação normal do corpo, mas se torna uma doença quando a reação é tão intensa que nos impede de nos proteger e lutar de forma eficaz. Ela é desproporcional ao estímulo ou torna-se crônica, gerando enorme sofrimento.

Além do chamado transtorno de ansiedade generalizada (TAG), existem outros, como pânico, fobias e ansiedade social. O estresse pós-traumático e o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) também são classificados como transtornos de ansiedade.

Tem tratamento?

Sim. Antes do tratamento, o diagnóstico da ansiedade é clínico, ou seja, baseado na análise dos sintomas. Não há exames que confirmem o transtorno, mas, como muitos pacientes têm sintomas físicos, como taquicardia e falta de ar, um médico pode solicitar alguns testes para descartar outras doenças —hipertireoidismo ou uso de certos medicamentos podem provocar ansiedade.

Há diversas formas para tratar a ansiedade:

Psicoterapia: as terapias da fala, em geral, ajudam os pacientes a identificar os fatores que deflagram a ansiedade, como falsas crenças, e a encontrar formas mais saudáveis de lidar com os sintomas e as dificuldades que o transtorno cria.

Terapias complementares: práticas meditativas, como mindfulness e meditação transcedental, têm despertado atenção de pesquisadores e hoje existem evidências científicas de seus benefícios.

Exercícios de respiração: as técnicas como as da ioga também são consideradas úteis para quem sofre de pânico. Além disso, técnicas de relaxamento, neurofeedback, biofeedback, alongamentos, massagens, musicoterapia, acupuntura, banhos quentes e ervas como camomila, passiflora e valeriana...tudo isso pode ajudar no controle dos sintomas e aumentar o sucesso dos tratamento convencionais.

Medicamentos: os fármacos mais utilizados para os transtornos de ansiedade são os antidepressivos, como inibidores seletivos de recaptação de serotonina e tricíclicos, entre outros. Ansiolíticos como os benzodiazepínicos, que agem num neurotransmissor chamado Gaba, podem ser indicados no início do tratamento ou durante as crises. A prescrição dessas drogas deve ser feita com cuidado porque há risco de prejuízos psicomotores, problemas de memória e dependência.

Hábitos saudáveis: as atividades físicas são de extrema importância para quem sofre de ansiedade, pois ajudam o corpo a liberar substâncias que promovem bem-estar, além de distrair a mente e melhorar o sono. Além disso, entram nessa lista ter uma dieta saudável, evitar o excesso de álcool, café, cigarro, e aprender a equilibrar trabalho e descanso, além de controlar a exposição aos eletrônicos.

* Com informações de reportagem publicada no dia 17/07/2018.

Equilíbrio