PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Por que a gripe parece piorar à noite ou antes de dormir?

Gripe piora à noite? Alguns fatores podem dar essa sensação - Getty Images
Gripe piora à noite? Alguns fatores podem dar essa sensação Imagem: Getty Images

Bárbara Therrie

Colaboração para VivaBem

20/12/2021 17h15

Já aconteceu de alguma vez durante uma gripe você perceber que foi chegando a hora de dormir e a tosse aumentou um pouco ou o nariz ficou mais congestionado? É comum muita gente ficar com essa sensação de que os sintomas da doença pioram à noite, mas será que isso ocorre mesmo?

Segundo Helena Brígido, médica infectologista, membro da diretoria da Sociedade Paraense de Infectologia e docente da UFPA (Universidade Federal do Pará), não há um horário específico de piora dos sintomas relacionados à gripe, mas, sim, a piora da gripe pode estar ligada ao ato de se deitar na cama para dormir.

Ao se deitar, diminui-se a movimentação pulmonar de inspirar e expirar. Com isso, o nariz fica obstruído mais facilmente em indivíduos que já estão com quadro gripal —e a obstrução nasal é um dos sintomas, de fato, mais irritantes em quem está se sentindo gripado.

O fato de a pessoa se movimentar menos nesse período de sintomas gripais e, posteriormente, se deitar para dormir favorece uma série de fatores como o acúmulo de secreção nos seios da face e o consequente entupimento do nariz. Isso aumenta o edema das mucosas, acrescenta Raquel Stucchi, infectologista da Unicamp (Universidade de Campinas) e consultora da Sociedade Brasileira de Infectologia.

"Não existe nenhum horário que piora, isso é uma impressão", afirma a médica.

Temperatura também pode afetar sintomas

A diminuição da temperatura à noite também pode levar à exacerbação dos sintomas, como a tosse, por exemplo, que pode piorar ao deitar, principalmente se houver um quadro de sinusite como complicação devido à gripe.

De modo geral, lugares frios apresentam maiores tendências para infecções respiratórias, afirma Claudilson Bastos, infectologista, preceptor da residência médica em infectologia e coordenador de ensino e pesquisa do Instituto Couto Maia, e professor do curso de medicina da Universidade Estadual da Bahia.

Algumas medidas simples podem ajudar no alívio dos sintomas, como a pessoa se manter hidratada, tomar bastante líquido durante o dia, ter uma alimentação equilibrada e lavar o nariz com soro fisiológico para evitar o acúmulo de secreção, segundo os especialistas ouvidos por VivaBem. Dependendo do caso, o uso de analgésicos e/ou anti-histamínicos e antivirais podem ser recomendados.

A gripe se torna preocupante se a pessoa apresentar febre alta com calafrios por mais de três dias, prostração, cansaço intenso, falta de ar, cefaleia diferente da habitual e mudança do aspecto da tosse com expectoração. Nessas situações, ela deve procurar um médico para melhor avaliação.

Saúde