PUBLICIDADE

Topo

Benefícios dos alimentos

Nabo faz bem para o fígado e ossos; veja 7 benefícios

iStock
Imagem: iStock

Samantha Cerquetani

Colaboração para o VivaBem

29/11/2021 04h00

Apesar de não ser uma hortaliça muito popular, vale a pena incluir o nabo nas receitas. O alimento é repleto de nutrientes importantes para o organismo: contém vitaminas e minerais, além de ter fibras e bastante água.

De acordo com a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), o nabo já foi muito utilizado na medicina chinesa, antes da popularização da batata. Ele contém fitonutrientes e, quando consumido regularmente, contribui com o sistema imune e reduz o risco de doenças crônicas.

Há diversos tipos de nabos, mas, no Brasil, os mais comuns são o de polpa branca e formato alongado e o arredondado com tonalidade branca e topo arroxeado. O sabor é mais picante e amargo quando consumido in natura; já ao ser cozido, apresenta um gosto mais adocicado.

É um alimento leve, de fácil digestão e pouco calórico: em 100 g cru há apenas 18 calorias. A seguir, veja 7 benefícios do nabo e como adicioná-lo na dieta.

1. É fonte de antioxidantes

O alimento contém antioxidantes em sua composição. Por conta disso, oferece diversos benefícios para a saúde. Entre eles, podemos citar: retardar o envelhecimento precoce, melhorar o aspecto da pele e fortalecer o sistema imunológico.

Além disso, possui boa concentração de glucosinolato, substância que contribui indiretamente contra o câncer, principalmente o de cólon e de mama. Também contém flavonoides, outro tipo de antioxidante que ajuda a combater o câncer.

Vale destacar que nenhum alimento isolado consegue minimizar o risco de alguns tumores. Por isso, é fundamental ter uma dieta equilibrada e realizar atividades físicas.

2. Tem efeitos anti-inflamatórios

O nabo é fonte de vitamina K, que regula o sistema de resposta inflamatória do corpo, prevenindo assim vários tipos de doenças como a artrite. Acredita-se que esse benefício aconteça devido à presença de uma substância chamada arvelexina, que bloqueia os radicais livres envolvidos no processo inflamatório do corpo.

3. Faz bem para o fígado

De forma geral, o nabo melhora a digestão e possui efeito hepatoprotetor, ou seja, faz bem para o fígado. Isso ocorre devido à concentração de flavonoides, antocianinas e compostos de enxofre que são fitonutrientes e reduzem as atividades das enzimas hepáticas.

4. Promove a saúde óssea

Por ser fonte de cálcio e potássio, minerais considerados essenciais para a saúde dos ossos, o nabo ajuda a prevenir doenças ósseas como a osteoporose. A condição deixa a pessoa mais suscetível a fraturas. Além disso, a vitamina K desempenha um papel fundamental no metabolismo ósseo.

5. Reduz a pressão arterial

O potássio presente no nabo reduz a pressão arterial devido à sua ação vasodilatadora. Assim, ajuda a eliminar o sódio pela urina. Por conta disso, também contribui indiretamente com a saúde cardiovascular, já que a hipertensão é um dos fatores de risco para as doenças que atingem o coração, como infartos.

6. Alivia a constipação

Por ser fonte de fibras, o nabo regula o intestino e evita problemas como a prisão de ventre. Geralmente, a constipação ocorre quando há baixo consumo de fibras na dieta. Elas aceleram o trânsito intestinal e aumentam a quantidade de fezes, além de estimular os movimentos peristálticos. Tudo isso facilita a evacuação.

7. Ajuda no controle do peso

Por conter poucas calorias, o nabo contribui com o processo de emagrecimento. Além disso, ele possui fibras, o que proporciona uma maior sensação de saciedade. Sendo assim, a pessoa acaba ingerindo menos.

Mas vale reforçar que para emagrecer com saúde é importante ter um acompanhamento médico e nutricional e realizar atividade física regularmente. Nenhum alimento isolado tem a capacidade de emagrecer ou engordar.

nabo  - iStock - iStock
Há diversos tipos de nabos, mas, no Brasil, os mais comuns são o de polpa branca e formato alongado e o arredondado com tonalidade branca e topo arroxeado
Imagem: iStock

Benefícios em estudo

  • Controla o diabetes

As fibras presentes no nabo ajudam a manter os níveis de glicose no sangue sempre estáveis. Isso contribui para o controle da glicemia, o que é bastante benéfico para quem tem diabetes.

Um estudo realizado com cobaias que consumiam muito açúcar apontou que as que ingeriram nabo tiveram uma redução no nível de glicemia. O alimento também aumentou o nível de insulina. No entanto, ainda precisam ser realizadas pesquisas em humanos para comprovar o benefício.

  • Protege contra bactérias

Por conter um composto chamado isotiocianatos, os nabos podem inibir o crescimento bacteriano. Foram feitos alguns estudos em tubos de ensaio e em animais que mostram o benefício da substância no controle das bactérias.

Na hora da compra e do armazenamento

Ao escolher o nabo, fique atento se o alimento está firme, sem áreas escuras ou amolecidas. Opte sempre pelos mais pesados e com raízes menores. Isso garante que a hortaliça esteja mais macia. As folhas também precisam parecer frescas e sem manchas.

Podem ser aproveitadas tanto a casca quanto as folhas nas preparações culinárias. Por isso, vale a pena lavar com cuidado as folhas e armazená-las em geladeira em um saco plástico. Já a polpa também deve ser higienizada adequadamente e refrigerada por até duas semanas.

Há contraindicações?

Para a maioria das pessoas, o consumo de nabo é considerado seguro e não traz riscos para a saúde. No entanto, devido ao alto teor de celulose nas fibras, pode causar inchaços e gases em alguns indivíduos mais sensíveis.

Além disso, por conter isotiocianatos, em grandes quantidades costuma interferir na síntese de alguns hormônios, como o da tireoide. Dessa forma, nesses casos, é importante se atentar para a quantidade consumida e buscar orientação de um especialista.

Como consumir

O nabo pode ser cozido e usado como ingrediente de sopas, purês ou consumido cru em saladas. Para diminuir um pouco do seu amargor natural, uma dica é mergulhar a hortaliça fatiada em água com algumas gotas de limão ou vinagre.

Fontes: Murilo Arminio, nutrólogo do Hospital Edmundo Vasconcelos; Andrea Filgueiras, nutricionista e docente do curso de nutrição do Centro Universitário FMU; Joyce Marques, nutricionista pós-graduada em prescrição de fitoterápicos e suplementação nutricional da AmorSaúde, rede de clínicas parceira do Cartão de TODOS, em Santo Antônio de Jesus (BA).

Referência: Taco (Tabela Brasileira de Composição de Alimentos).

Benefícios dos alimentos