PUBLICIDADE

Topo

Pesquisa revela que filtragem do ar elimina vestígios do coronavírus

Representação do novo coronavírus - Reprodução
Representação do novo coronavírus Imagem: Reprodução

Colaboração para VivaBem, em São Paulo

16/11/2021 14h50

Um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Cambridge e do Hospital Addenbrooke, no Reino Unido, sugere que filtros de ar podem remover quase todos os vestígios do novo coronavírus no ambiente. A descoberta pode acarretar melhorias à segurança das enfermarias no combate à covid-19, além de abrir a possibilidade de estabelecer padrões para um ar mais limpo e reduzir o risco de transmissão interna da infecção.

Com a nova onda de infecções no Reino Unido e no restante da Europa, o resultado da pesquisa também oferece alternativas à gestão hospitalar no controle de qualidade do ar. A filtragem de ar com equipamentos portáteis e dispositivos de esterilização ultravioleta está sendo proposta como um método eficaz de prevenção da transmissão da covid-19 de pacientes para os profissionais de saúde em enfermarias, de acordo com o estudo publicado no periódico Clinical Infection Diseases.

O médico Vilas Navapurlar, consultor em Medicina Intensiva que liderou o estudo, disse que a redução da transmissão aérea do coronavírus é extremamente importante para a segurança dos pacientes e da equipe."O EPI (Equipamento de Proteção Individual) eficaz fez uma grande diferença, mas qualquer coisa que possamos fazer para reduzir ainda mais o risco é importante", afirmou.

O médico explicou também que, em razão do elevado número de pacientes admitidos com covid-19, diversos hospitais tiveram que usar enfermarias não projetadas para o tratamento de infecções respiratórias. Em busca de instalações mais seguras, as equipes do Hospital Addenbrooke e da Universidade de Cambridge testaram a eficácia dos dispositivos portáteis de filtragem de ar em remover o SARS-CoV-2 do ambiente.

A equipe instalou um filtro de alta eficiência e um dispositivo com milhares de fibras unidas para formar um material que filtra as partículas de ar. As máquinas foram colocadas em posições fixas na enfermaria, por sete dias, filtrando todo o volume de ar de cada cômodo entre 5 e 10 vezes por hora.

Os cientistas e engenheiros testaram as amostras coletadas usando ensaios de PCR. A equipe descobriu que os dispositivos não apenas reduziram todos os vestígios do vírus SARS-CoV-2 quando estava em execução, mas também diminuíram significativamente os níveis de bactérias, fungos e outros bioaerossois.

Segundo o médico Andrew Morris, do Departamento de Medicina da Universidade de Cambridge, a eficácia dos filtros de ar na remoção das partículas do vírus é um grande salto nos esforços contra a pandemia. "Embora tenha sido apenas um pequeno estudo, ele destaca seu potencial para melhorar a segurança das enfermarias, particularmente em áreas não projetadas para o gerenciamento de doenças altamente infecciosas como a covid-19", declarou.