PUBLICIDADE

Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Maioria das relações românticas começa a partir da amizade, sugere estudo

Getty Images
Imagem: Getty Images

Do VivaBem, em São Paulo

03/10/2021 16h24

O amor da sua vida pode estar mais perto do que você imagina. Inclusive, pode surgir daquela grande amizade de anos. Essa conclusão é fruto de um estudo publicado no periódico Social Psychological and Personality Science, no dia 12 de julho deste ano.

Ao contrário da ideia de que o amor surge de paixões avassaladoras, os pesquisadores descobriram que a maioria dos relacionamentos românticos tem início, na verdade, a partir de uma amizade. O resultado mostrou que dois terços dessas relações começaram entre amigos que já se conheciam há um tempo.

"Poucos estudos estão realmente olhando para o início de um relacionamento entre amigos, apesar da nossa observação de que, de longe, é a forma mais comum do início de uma relação", disse à CNN a autora principal do estudo, Danu Stinson, psicóloga e professora da University of Victoria, no Canadá.

Como o estudo foi feito

O artigo utilizou quatro diferentes estudos sobre essa fase inicial das relações. Os dois primeiros envolveram uma análise de periódicos e livros sobre o tema. Os pesquisadores notaram que a maioria falava sobre o "romance entre estranhos", ignorando o relacionamento amoroso que pode surgir entre amigos.

Por isso, os cientistas resolveram investigar estudantes universitários e adultos de todas as idades —um total de 1.900 pessoas no Canadá e nos Estados Unidos.

Os estudos, realizados de forma online, foram feitos entre 2002 e 2020 para outros fins, sendo que os dados utilizados neste artigo vieram de informações demográficas dos participantes.

Casal gay se beijando  - FG Trade/iStock - FG Trade/iStock
Imagem: FG Trade/iStock

Quais foram os resultados?

  • Entre os participantes, 66% relataram que o relacionamento romântico atual ou o mais recente começou como uma amizade --muitos deles relações de longa duração de vários meses ou anos.
  • Havia pouca variação entre gênero, nível de educação ou grupos étnicos, mas o número de pessoas que iniciam um namoro com amigos foi ainda maior entre os jovens na faixa dos 20 e dentro das comunidades LGBTQ +, com 85% desses casais começando como amizades.
  • Entre os universitários, a "fase de amigo" durou quase 22 meses, em média, antes de se tornar romântica.
  • Os pesquisadores notaram que a grande maioria desses participantes relatou que não iniciavam suas amizades com intenções ou atração românticas.
  • A duração média das amizades pré-romance significa que é provável que os casais fossem amigos genuínos e platônicos antes da transição para o romance.
  • Quase metade dos alunos relatou que começar como amigos era a forma preferida de desenvolver um relacionamento amoroso --tornando-o de longe mais popular do que outras opções apresentadas, como o encontro em uma festa ou de forma online.

Por que este estudo é importante

Dada a prevalência de relacionamentos românticos que começam de forma platônica, a autora explica que gostaria de ver mais estudos examinando esse tipo de início de relacionamentos amorosos.

Os pesquisadores também esperam que o artigo faça com que as pessoas repensem noções preconcebidas sobre amor e amizade.

"Nossa pesquisa sugere que as linhas entre amizade e romance são confusas", diz Stinson ao site do EurekAlert!. "Acho que isso nos força a repensar nossas suposições sobre o que constitui uma boa amizade, mas também o que forma um bom relacionamento romântico."

Equilíbrio