PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid: 76,7 milhões de brasileiros completam vacinação, 35,98% da população

Mais de 76,7 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 - RENATO S. CERQUEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO
Mais de 76,7 milhões de brasileiros já completaram a vacinação contra a covid-19 Imagem: RENATO S. CERQUEIRA/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o VivaBem, em São Paulo

15/09/2021 20h00

O Brasil atingiu hoje a marca de 76,7 milhões de pessoas com vacinação completa contra a covid-19. Até o momento, 76.760.153 habitantes receberam a segunda dose ou a dose única de imunizante, o correspondente a 35,98% da população do país. O levantamento é do consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, com base nas informações fornecidas pelas secretarias estaduais de saúde.

Entre ontem e hoje, 1.180.808 brasileiros completaram o esquema vacinal, com 1.178.356 segundas doses e 2.452 doses únicas. Já 613.687 pessoas tomaram a primeira dose e outras 40.052 a de reforço neste intervalo de tempo.

Até agora, o Brasil tem 139.887.121 vacinados com a primeira dose, o que representa 65,58% da população nacional. A dose de reforço foi aplicada em 196.972 brasileiros até aqui.

Somando primeiras, segundas, únicas e de reforço, foram aplicadas 1.834.547 doses de vacina contra a covid-19 nas últimas 24 horas em todo o Brasil.

O Mato Grosso do Sul se tornou hoje o primeiro estado com mais da metade de sua população com vacinação completa: 50,47% dos habitantes locais. Na sequência, estão São Paulo (47,44%), Rio Grande do Sul (42,05%), Espírito Santo (38,77%) e Paraná (36,29%).

São Paulo tem a maior proporção de habitantes que já tomaram a primeira dose: 77,17% da população. Rio Grande do Sul (68,42%), Santa Catarina (67,65%), Distrito Federal (67,54%) e Paraná (66,67%) vêm a seguir.

Com chegada de AstraZeneca, SP interromperá mistura com Pfizer na 2ª dose

O estado de São Paulo deverá interromper a mistura de doses entre AstraZeneca e Pfizer após a chegada de uma nova remessa do imunizante produzido pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz). O governo paulista recebeu hoje 456 mil unidades, que deverão ser distribuídas a partir de amanhã.

O estado decidiu aplicar a intercambialidade de vacinas no início desta semana em quem estava com a segunda dose incompleta por causa do atraso da entrega de AstraZeneca pela Fiocruz, creditado à falta de matéria prima. Já era previsto que a medida valesse para quem estivesse com atraso de D2 entre os dias 1º e 15 de setembro.

"Vamos voltar a usar a vacina da AstraZeneca para completar o esquema vacinal daqueles que precisam e tem essas vacinas a serem vencidas a partir de agora", declarou Regiane de Paula, coordenadora do PEI (Plano Estadual de Imunização), em coletiva hoje.

Com a normalização da distribuição, o PEI deverá enviar as doses aos municípios entre hoje e amanhã. Quem tomou a primeira dose de AstraZeneca e estiver com o esquema atrasado deverá tomar a segunda dose da Fiocruz.

Veículos se unem pela informação

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação UOL, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, G1 e Extra formaram um consórcio para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias diretamente nas secretarias estaduais de Saúde das 27 unidades da Federação.

O governo federal, por meio do Ministério da Saúde, deveria ser a fonte natural desses números, mas atitudes de autoridades e do próprio presidente durante a pandemia colocam em dúvida a disponibilidade dos dados e sua precisão.

Saúde