PUBLICIDADE

Topo

Benefícios dos alimentos

Cardamomo é bom para digestão e melhora hálito; veja benefícios

iStock
Imagem: iStock

Cecilia Felippe Nery

Colaboração para o VivaBem

13/09/2021 04h00

De sabor intenso, cítrico e levemente adocicado, o cardamomo é uma das especiarias mais sofisticadas que existem, atrás do açafrão e da baunilha. Como tempero, dá um gosto todo especial na comida, principalmente no arroz e nas carnes, além disso suas sementes, óleos e extratos apresentam propriedades medicinais que são utilizadas na medicina natural há séculos.

O cardamomo, cujo nome científico é Elletaria cardamomum, é da mesma família do gengibre. O nome vem do árabe e tem relação com aquecer e um mistério oriental, ou seja, "esquentar sem picância". Apresenta notas de eucalipto e cânfora, e florais e cítricas ao mesmo tempo.

A planta pode ser encontrada nas florestas tropicais da Índia, onde cresce livremente nas encostas das colinas, mas também é nativa das florestas úmidas do Sri Lanka, Malásia e Sumatra. Hoje em dia é cultivada no Nepal, na Tailândia e na América Central, e é vastamente usada na Coreia e no Vietnã. No Brasil, o cardamomo de espícula esverdeada, que tem origem na Índia e na Malásia, é o mais comercializado.

De acordo com a nutricionista Natália Pinheiro de Castro, no Brasil é possível encontrar a especiaria em alguns mercados e em lojas de produtos naturais. "Como sua popularidade aumentou, o acesso a ele também ficou mais fácil (apesar de ainda ser caro)", pondera.

Benefícios do cardamomo

A especiaria é fonte das vitaminas A, B e C e minerais como sódio, potássio, ferro, cálcio e magnésio, que garantem diversos benefícios à saúde. "Em razão da sua composição nutricional, o cardamomo possui propriedades antioxidante, analgésica, antisséptica, digestiva e expectorante, além de outros benefícios estudados pela ayurveda [ciência indiana] e a medicina tradicional chinesa", explica a nutróloga Marcella Garcez.

A nutricionista Camila Alves ainda diz que ele é uma boa fonte de óleos voláteis, óleos fixos, ácidos fenólicos e esteróis e afirma que cada 100 gramas de cardamomo fornece 300 calorias.

Cardamomo - iStock - iStock
Imagem: iStock

Sendo usado há tanto tempo e com diversas finalidades, veja a seguir alguns benefícios do cardamomo:

1. Melhora a digestão e o funcionamento do intestino

Por ser rico em óleos essenciais, como o limoneno, o cardamomo auxilia na digestão. Além disso regula os gases, ajuda a aliviar os sintomas relacionados à gastrite e combate a prisão de ventre por causa das fibras.

2. Diminui o mau hálito

Já na Antiguidade, os egípcios mascavam o cardamomo para refrescar o hálito e limpar os dentes, por ele ter ação antisséptica dentro da boca. Em algumas culturas, é comum refrescar o hálito comendo vagens inteiras de cardamomo após uma refeição.

3. Sensação de saciedade

Por ser rico em fibras, promove a sensação de saciedade, ajudando a regular a sensação de fome.

4. Favorece a eliminação de secreções

De ação expectorante, o cardamomo ajuda na eliminação de secreções comuns na gripe e no resfriado.

5. Ajuda o sistema imunológico

Ele melhora o sistema imunológico do corpo e diminui o risco do aparecimento de várias doenças, principalmente a síndrome metabólica, obesidade, hipertensão, diabetes e doença hepática gordurosa não alcoólica.

Benefícios em estudo

O cardamomo atualmente é estudado em muitos contextos. "Contudo, esses estudos ainda não são conclusivos sobre os efeitos da suplementação de cardamomo", lembra Castro.

  • Uma revisão sistemática recente concluiu que a ingestão do cardamomo pode abaixar concentrações de triglicérides no sangue.
  • Outro estudo mostrou que o cardamomo pode ser ofertado a mulheres grávidas que estejam experimentando náuseas e vômitos para controlar esses sintomas.
  • Há ainda estudos (1) (2) (3) em fase inicial que apontam os benefícios do cardamomo no perfil metabólico geral, como redução da inflamação decorrente da obesidade e redução da glicemia.

Como consumir

O cardamomo pode ser encontrado na forma de pó ou em baga, que contém pequenas sementes em seu interior. A melhor forma de aproveitar o cardamomo é abrir as vagens na hora de usar, retirar os grãos e moer ou amassar. Dentro de cada vagem há cerca de 10 a 20 sementinhas.

Cardamomo, getty - Getty Images - Getty Images
Imagem: Getty Images

A especiaria é utilizada em doces e salgados, como substituto do alho no refogado do arroz ou adicionado em doces como pudins e geleias. Também pode aromatizar o pão feito em casa, colocar no molho da carne, ser consumido em forma de chá, e a semente ou pó podem ser adicionados no café. No leite quente ou na sopa, pode ser acrescentado uma pitada de pó, ajudando a ter um sono mais tranquilo.

"Para a preparação de chás, recomenda-se, de modo geral, o uso de três sementes secas e trituradas de cardamomo para cada xícara de água. O ideal é ferver a água com o cardamomo por cerca de dez minutos", ensina Alves.

Além disso, 1,5 colher (sopa) de cardamomo moído (8,7 gramas ou sementes de 10 bagas —fresco, o sabor é mais acentuado/forte) é quantidade suficiente para temperar pratos salgados. "Lembrando que essa quantidade é inserida dentro da receita, em que será consumida apenas uma parcela dessa quantidade. Sendo assim, o cardamomo não contribui significativamente, no contexto da dieta, com calorias, proteínas, gorduras, carboidratos ou fibras alimentares", avalia Castro.

Valor energético: 27 kcal
Proteína: 0,94 g
Gorduras totais: 0,58 g
Carboidratos: 5,96 g
Fibras: 2,4 g

Riscos e contraindicações

O cardamomo tem várias funcionalidades e benefícios para a saúde, porém, para serem observados, é importante que seja incluído em uma alimentação saudável e equilibrada, além de um estilo de vida adequado. "Não são conhecidos efeitos adversos do consumo de cardamomo como especiaria/condimento. Contudo, recomenda-se avaliação clínica quando há intenção de fazer suplementação", avalia Castro.

Para Garcez, na forma alimentar o cardamomo é muito seguro, porém as preparações medicinais, na forma de extratos, devem ser consumidas apenas com prescrição e acompanhamento médico.

Já Alves ressalta que, em doses elevadas, existem registros de que o cardamomo pode provocar vômito. "Por isso, deve ser usado sempre em pequenas quantidades". Segundo ela, crianças, gestantes, lactentes e pessoas que tenham alguma doença devem consultar um médico antes de iniciar o consumo. Ocasionalmente, pessoas com úlcera péptica ativa relatam uma leve perturbação digestiva com doses elevadas de cardamomo e ele pode provocar dermatite de contato, adverte.

Fontes: Camila Alves, nutricionista e conselheira do CRN-3 (Conselho Regional de Nutricionistas 3ª Região); Marcella Garcez, médica nutróloga, professora e diretora da Abran (Associação Brasileira de Nutrologia); Natália Pinheiro de Castro, nutricionista formada pela USP (Universidade de São Paulo), mestre e doutora em ciências pela FSP (Faculdade de Saúde Pública) da USP.

Benefícios dos alimentos