PUBLICIDADE

Topo

Anvisa pede que Pfizer forneça dados sobre dose de reforço da vacina

Ampolas da vacina da Pfizer contra a covid-19 - Divulgação
Ampolas da vacina da Pfizer contra a covid-19 Imagem: Divulgação

Colaboração para o UOL

19/08/2021 16h04

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) fez uma reunião hoje com a Pfizer para discutir dados sobre um possível reforço da vacina. Esse foi o primeiro encontro para tratar o assunto.

A farmacêutica ainda não encaminhou solicitação formal para inclusão da terceira dose na bula do imunizante. Mas a agência já solicitou ao laboratório informações sobre o desenvolvimento e andamento dos estudos, especialmente nos Estados Unidos.

O objetivo da Anvisa é acompanhar todos os levantamentos, tanto de pesquisas diretamente conduzidas pela Pfizer, quanto de outras publicações que possam contribuir para a avaliação sobre necessidade da dose a mais.

Segundo a diretora da Anvisa responsável pela área de medicamentos e vacinas, Meiruze Freitas, a intenção é "antecipar a discussão" sobre o tema. O mais importante é entender se e quando estas doses serão necessárias, já que essa decisão pode impactar no processo de imunização no Brasil.

Reforço para profissionais de saúde e idosos

O Ministério da Saúde informou ontem que está avaliando a aplicação de uma dose de reforço das vacinas contra a covid-19. A expectativa é que os grupos prioritários para recebê-las sejam os profissionais de saúde e os idosos.

O ministro Marcelo Queiroga solicitou um estudo para avaliar se a CoronaVac precisará de uma terceira dose. As demais vacinas usadas no Brasil já estão com estudos em andamento ou concluídos

Queiroga também ressaltou que faltam evidências científicas sobre como essa dose extra deveria ser aplicada. Também ainda não está claro, segundo ele, sobre a necessidade de uso do mesmo fabricante usado anteriormente ou intercambialidade.