PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Anvisa autoriza uso emergencial de medicamento injetável contra covid

Anvisa autoriza uso emergencial de medicamento Regkirona contra covid - Ueslei Marcelino/Reuters
Anvisa autoriza uso emergencial de medicamento Regkirona contra covid Imagem: Ueslei Marcelino/Reuters

Do UOL, em São Paulo

11/08/2021 13h57Atualizada em 11/08/2021 14h08

A diretoria da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou por unanimidade a autorização temporária de uso emergencial do medicamento injetável Regkirona, um anticorpo monoclonal produzido em laboratórios, contra o coronavírus.

É o quarto medicamento a receber autorização da Anvisa para tratamento da covid. A Anvisa explica que o Regkirona reproduz anticorpos que ajudam o organismo no combate a alguma doença específica. "É importante destacar que esses anticorpos não previnem a doença", disse em nota.

O Regkirona é indicado para o tratamento de casos leves e moderados da covid em pacientes adultos que não necessitam de suplementação de oxigênio e que apresentam alto risco de progresso para a forma mais grave da doença. É o caso de diabéticos e dos que têm mais de 65 anos de idade.

O medicamento tem uso restrito a hospitais e deve ser administrado em até sete dias após o início dos sintomas da covid.

A relatora do caso, diretora Meiruze Freitas, afirmou que a covid ainda é uma grande ameaça à saúde da população mundial, embora vacinas estejam disponíveis. Para ela, a vacinação massiva e o desenvolvimento de intervenções eficazes oferecem a esperança de acabar com o dano global causado pela pandemia.

Meiruze ainda explica que os resultados dos ensaios clínicos com os anticorpos monoclonais mostraram uma redução dos danos pulmonares, diminuição da viremia (presença de vírus no sangue) e do risco de hospitalização, o que levou a Anvisa a aprovar esse tipo de medicamento para uso emergencial em casos específicos.

Fora do Brasil, a norte-americana FDA (Agência de Alimentos e Medicamentos) e a europeia EMA (Agência Europeia de Medicamentos) também autorizaram o uso do medicamento.

O pedido de autorização emergencial foi protocolado em 12 de maio pela empresa Celltrion Healthcare Distribuição de Produtos Farmacêuticos do Brasil.

Saúde