PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

SP: Botucatu vê queda de 75% em internações após vacinação em massa

População adulta de Botucatu -- entre 18 e 60 -- recebeu a primeira dose da AstraZeneca em meados de maio - Vitor Orsola/Estadão Conteúdo
População adulta de Botucatu -- entre 18 e 60 -- recebeu a primeira dose da AstraZeneca em meados de maio Imagem: Vitor Orsola/Estadão Conteúdo

Henrique Sales Barros

De VivaBem, em São Paulo

03/08/2021 17h12Atualizada em 03/08/2021 18h12

Quase três meses após o início do estudo sobre os efeitos da vacinação em massa em Botucatu, no interior de São Paulo, o número de internados com covid-19 em leitos de enfermaria e de UTI (Unidade Terapia Intensiva) diminuiu em 75%.

Botucatu, de quase 150 mil habitantes, faz parte de um estudo do Ministério da Saúde para avaliar a eficácia da vacina da AStraZeneca contra o novo coronavírus, em uma aplicação massificada de doses.

A imunização começou em 16 de maio, atingindo todos os moradores entre 18 e 60 anos. O estudo tem duração estimada de oito meses, incluindo o acompanhamento dos efeitos na população.

Naquela data, Botucatu registrava 60 pacientes internados com covid-19 em leitos hospitalares, sendo 20 em UTIs. No último domingo (1º), 11 semanas depois, o município possuía apenas 15 internados — 75% a menos. Sete estavam em UTI.

O registro de internados com covid-19 no município começou a cair no fim da primeira metade do mês de junho, pouco tempo antes de se completar um mês da aplicação em massa da primeira dose na população.

Em 23 de maio, 69 pacientes com covid-19 estavam internados na cidade. Em 30 de maio, 88 pacientes. Em 6 de junho, chegou-se a 90. A partir de 13 de junho, quando se registrou 64 internados no município, o índice passou a apresentar uma queda continuada.

Reflexos em casos e mortes

Entre 17 e 23 de maio — um intervalo de sete dias —, Botucatu registrou 582 casos de covid-19 (média de 83 por dia). Entre 7 e 13 de junho, o município chegou a registrar um número ainda maior, de 670 casos (média de 96 por dia).

No período entre 26 de julho e 1º de agosto, porém, registrou-se apenas 155 casos em Botucatu (média de 22 por dia), um número 73,36% menor do que o registrado entre 17 e 23 de maio.

No fim de junho, dados já mostravam uma redução na faixa dos 70% no número de novos casos do novo coronavírus, efeito da aplicação em massa da primeira dose contra a covid-19 no município.

Quanto ao índice de mortes, entre 17 de maio e 13 de junho — 28 dias, totalizando quatro semanas —, 31 mortes por covid-19 foram registradas em Botucatu. Já entre 5 de julho e 1º de agosto, registrou-se 19 mortes — uma queda de 38,70%.

Segundo dados do painel do governo de São Paulo, 83,79% da população de Botucatu já tomou ao menos uma dose contra a covid-19 — seja da vacina da AstraZeneca ou de outros imunizantes.

Ontem, o município recebeu 80 mil doses do imunizante da AstraZeneca para completar a vacinação daqueles que receberam a primeira dose em 16 de maio. De acordo com nota da Prefeitura de Botucatu, elas deverão ser aplicadas no próximo domingo (8).

Para além de Botucatu, um estudo semelhante — e com iguais resultados preliminares positivos —, conduzido pelo Instituto Butantan com doses de CoronaVac também está sendo desenvolvido em Serrana (SP).

Número de internados com covid-19 (geral e UTIs)

  • 1 de agosto: 15 internados. 7 em UTIs;
  • 25 de julho: 20 internados. 10 em UTIs;
  • 18 de julho: 27 internados. 16 em UTIs;
  • 11 de julho: 33 internados. 17 em UTIs;
  • 4 de julho: 45 internados. 21 em UTIs;
  • 27 de junho: 50 internados. 25 em UTIs;
  • 20 de junho: 55 internados. 28 em UTIs;
  • 13 de junho: 64 internados. 29 em UTIs;
  • 6 de junho: 90 internados. 37 em UTIs;
  • 30 de maio: 88 internados. 33 em UTIs;
  • 23 de maio: 69 internados. 25 em UTIs;
  • 16 de maio: 60 internados. 20 em UTIs.

Casos confirmados de covid-19 (intervalos de 7 dias)

  • 26 de julho - 1 de agosto: 155 casos confirmados de covid-19;
  • 19 de julho - 25 de julho: 114 casos;
  • 12 de julho - 18 de julho: 113 casos;
  • 5 de julho - 11 de julho: 124 casos;
  • 28 de junho - 4 de julho: 151 casos;
  • 21 de junho - 27 de junho: 231 casos;
  • 14 de junho - 20 de junho: 459 casos;
  • 7 de junho - 13 de junho: 670 casos;
  • 31 de maio - 6 de junho: 532 casos;
  • 24 de maio - 30 de maio: 536 casos;
  • 17 de maio - 23 de maio: 582 casos.

Mortes por covid-19 (intervalos de 7 dias)

  • 26 de julho - 1 de agosto: 2 mortes;
  • 19 de julho - 25 de julho: 7 mortes;
  • 12 de julho - 18 de julho: 4 mortes;
  • 5 de julho - 11 de julho: 6 mortes;
  • 28 de junho - 4 de julho: 4 mortes;
  • 21 de junho - 27 de junho: 3 mortes;
  • 14 de junho - 20 de junho: 6 mortes;
  • 7 de junho - 13 de junho: 8 mortes;
  • 31 de maio - 6 de junho: 8 mortes;
  • 24 de maio - 30 de maio: 9 mortes;
  • 17 de maio - 23 de maio: 6 mortes.

Saúde