PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Fiocruz começa a produzir IFA em território nacional

Divulgação/Fiocruz
Imagem: Divulgação/Fiocruz

De VivaBem, em São Paulo

31/07/2021 11h44

A Fiocruz, por meio do Bio-Manguinhos (Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos), alcançou nesta sexta-feira (30) a entrega de 80,4 milhões de doses da vacina contra a covid-19 disponibilizadas ao PNI (Programa Nacional de Imunizações). Desse total, 76,4 milhões foram processadas na Fiocruz e 4 milhões foram importadas prontas do Instituto Serum, da Índia.

Outro marco está relacionado à soberania nacional da produção do imunizante: teve início a fabricação do primeiro lote de pré-validação da vacina contra a covid-19 com o IFA (ingrediente farmacêutico ativo) produzido em território nacional.

O IFA é fundamental na formulação de um fármaco porque está nele a substância capaz de produzir o efeito desejado. Nas vacinas, é o IFA que tem a informação que faz com que o organismo comece a preparar suas defesas contra um micro-organismo invasor.

Os lotes encontram-se na fase de expansão celular, quando as células são multiplicadas em meios de cultivo, para posteriormente serem infectadas com o vírus, receberem o tratamento enzimático e, com isso, seguirem para as demais etapas.

Serão produzidos dois lotes de pré-validação e três de validação, que passarão por testes de controle de qualidade em Bio-Manguinhos e comparabilidade junto à AstraZeneca.

Também serão enviadas para a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) as documentações necessárias para solicitar a alteração no registro da vacina, incluindo o novo local de fabricação do IFA, condição necessária para entrega do produto ao PNI.

A previsão é que as doses 100% nacionais comecem a ser entregues no último trimestre do ano, trazendo autossuficiência para o país.

No começo do ano, a chegada da China de vários lotes importados de IFA atrasou e, consequentemente, a produção dos imunizantes também.

Apesar de a AstraZeneca e a Universidade de Oxford serem instituições europeias, o IFA da vacina de Oxford também é produzido na China, pelo laboratório Wuxi Biologics, contratado pela AstraZeneca.

No Butantan, a produção nacional está prevista para janeiro de 2022, com a primeira produção experimental em dezembro deste ano. O IFA será produzido em uma nova fábrica que começou a ser construída pelo governo do estado de São Paulo em novembro do ano passado e tem inauguração prevista para o fim de setembro deste ano.

Saúde