PUBLICIDADE

Topo

Álcool é vilão na dieta? Entenda por que bebida prejudica perda de peso

Bárbara Therrie

Colaboração para o VivaBem

23/07/2021 04h00

Durante 21 dias, o publicitário Marcelo Duprat, 56, topou criar uma rotina saudável ao participar do Desafio Aceito, apresentado pela médica Thelminha. Essa rotina incluiu fazer mais exercícios, se alimentar melhor e diminuir a ingestão de bebida alcoólica.

À medida que foi se acomodando, o álcool foi ganhando espaço na vida do publicitário. "A cerveja foi se aproximando de mim, a gente se entendeu e a barriga veio junto. Tudo é motivo para beber, se está fazendo sol, vamos beber, se está chovendo, vamos beber. Não é questão de ficar embriagado, mas vira um aliado seu", disse ele no novo programa do Canal UOL.

Mas "o pretexto" para beber em toda situação não rolou durante o desafio. Marcelo recebeu como missão escolher um dia da semana para ingerir bebida alcoólica e só poderia tomar três copos. "Tenho certeza que essa vai ser a parte mais difícil", comentou.

A redução do álcool na "dieta" foi necessária para ajudar no processo de emagrecimento, mas é importante esclarecer que a bebida não é a única vilã quando pensamos em excesso de peso, explica Andréa Waisenberg, nutricionista, especialista em nutrição esportiva e proprietária da iDeaNutri - Nutrição com Ciência, clínica de nutrição com foco em promoção da saúde.

Segundo ela, o que engorda é o excesso de calorias em relação ao gasto calórico diário, dia após dia, e não de maneira pontual. Ou seja, bebida alcoólica em grande quantidade (em excesso ao gasto calórico) engorda, mas excesso de quantidade de gorduras, por exemplo, também. É preciso equilibrar a quantidade de calorias ingeridas e gastas diariamente, e com o álcool, não é diferente. Só para ter uma ideia, o teor calórico do álcool é 7 kcal/g, enquanto proteínas e carboidratos contêm 4 kcal/g e gorduras, 9 kcal/g.

Um outro ponto de atenção é que o álcool relaxa e prejudica o julgamento sobre o que se deve ou não comer. Uma pessoa que está seguindo um planejamento alimentar com objetivo de emagrecer sabe que não deveria consumir batatas fritas, por exemplo. Mas o relaxamento que o álcool causa elimina também algumas barreiras preestabelecidas. Quando alguém oferece a batata e insiste, o álcool pode dificultar que a pessoa diga "não".

Além disso, nas situações sociais, a bebida alcoólica é geralmente acompanhada de petiscos, muitas vezes calóricos, como queijos gordurosos, patês, frituras etc.

Marcelo Desafio Aceito - Reprodução - Reprodução
Antes do desafio, Marcelo disse que tudo era motivo para beber
Imagem: Reprodução

Beber para relaxar?

Marcelo não considera ter um vício ou dependência na bebida, mas acredita que passar um fim de semana sem tomar cerveja é quase a ideia de que vai ser um fim de semana ruim. "Acho que a gente acaba jogando a ansiedade na bebida e bebendo volume sem fazer a degustação. Hoje, com certeza, é o meu caso".

Segundo a nutricionista, muitas pessoas descontam a ansiedade e o estresse na bebida porque o efeito inicial do álcool é um relaxamento, seguido de alegria, além de ser associado a momentos bons, com amigos ou família. Ela dá algumas dicas para contornar isso: faça exercícios físicos, eles podem ser muito bons para causar um relaxamento parecido com o que o álcool causa, melhorando seu humor e qualidade do sono; invista em atividades relaxantes que tenham a ver com o seu gosto e personalidade: pintura, artesanato, meditação, culinária, livros, filmes.

Mesmo podendo escolher um dia da semana para ingerir bebida alcoólica, Marcelo não bebeu durante sua participação no programa. Ele explica: "Eu tenho uma coisa que eu escolho um mês no ano em que fico o mês inteiro sem beber nenhum tipo de bebida alcoólica. Eu usei esse mês do desafio, nada mais oportuno. Vontade eu tenho, mas vontade é uma coisa que dá e passa".

É possível incluir a bebida alcoólica em rotina saudável, mas com moderação

Ao final do Desafio Aceito, o publicitário emagreceu 10 kg e meses depois manteve os bons hábitos que adquiriu no programa, como ter uma alimentação mais equilibrada, fazer atividades físicas, hidratar-se diariamente. Sobre a bebida, ele diz: "Voltei a tomar uma cerveja no fim de semana, é um prêmio, eu tenho que viver, não acho que há problema nenhum nisso".

De acordo com a especialista em nutrição esportiva, a bebida alcoólica pode fazer parte de uma rotina saudável, desde que a pessoa não tenha restrições de saúde relacionadas a isso e haja equilíbrio. "É possível incluir a bebida alcoólica no planejamento alimentar de maneira que as calorias estejam contabilizadas e incluídas, sem que a pessoa ganhe peso". Desde que consumida com moderação, a bebida alcoólica pode ser menos prejudicial do que um prato muito calórico com muitas frituras, por exemplo, se pensarmos apenas nas calorias.

"Obviamente, não podemos perder de vista que o excesso de álcool pode engordar, causar dependência, doenças hepáticas, desajustes sociais e outros problemas. Porém, em quantidade e frequência controladas, ele pode ser consumido sem prejudicar o equilíbrio energético e peso", diz ela.