PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

RJ confirma quatro óbitos provocados pela variante delta no estado

De acordo com a Secretaria de Saúde, na última pesquisa epidemiológica feita no estado, das 380 amostras de pacientes analisadas, 16% eram da variante Delta - Divulgaçao/Governo do Paraná
De acordo com a Secretaria de Saúde, na última pesquisa epidemiológica feita no estado, das 380 amostras de pacientes analisadas, 16% eram da variante Delta Imagem: Divulgaçao/Governo do Paraná

Marcela Lemos

Colaboração para o UOL, do Rio de Janeiro

22/07/2021 20h28

A SES (Secretaria de Estado de Saúde) do Rio de Janeiro confirmou, na noite de hoje, a morte de quatro pessoas infectadas com a variante delta do coronavírus.

De acordo com a pasta, duas mortes são de moradores de São João de Meriti, e uma terceira de Duque de Caxias — municípios da Baixada Fluminense. A SES apura a cidade de origem do quarto paciente, que não resistiu à doença.

As mortes por causa da variante delta são de:

  • uma mulher, de 73 anos, em São João de Meriti, em 4/7
  • um homem, de 50 anos, em Duque de Caxias, em 5/7
  • uma mulher, de 43 anos, em São João de Meriti, em 10/7
  • um homem, de 53 anos, cuja cidade não foi informada, em 14/7

A prefeitura de Duque de Caxias informou que o paciente que morreu era morador da cidade e deu entrada na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Beira Mar em 26 de junho para o primeiro atendimento.

Dois dias depois, ele foi transferido para a UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) do Hospital Municipal Moacyr do Carmo. Ele tinha comorbidades e apresentou febre, tosse, dispnéia e estava com 50% do pulmão comprometido. O paciente morreu no dia 5 deste mês. A cidade monitora ainda outros seis casos da variante.

Rio: 16% das infecções de covid são da variante delta

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, a mais recente pesquisa epidemiológica do estado apontou 16% de infecções da variante delta do coronavírus, e 78% da variante gama — a cepa mais frequente no estado. Ao todo, foram analisadas 380 amostras de pacientes.

"A SES ressalta que, independentemente da cepa do vírus ou linhagem, as medidas de prevenção e métodos de diagnóstico e tratamento da Covid-19 seguem os mesmos, como uso de máscaras e álcool em gel, lavagem das mãos e distanciamento social. A quarentena de 14 dias é fundamental para qualquer pessoa com sintomas e/ou diagnóstico da doença, qualquer que seja a variante".

O estado destacou ainda que além disso, "é importante que os municípios continuem avançando no processo de vacinação contra a covid-19. Estudos mostram que as vacinas disponíveis no Brasil são eficazes contra a variante delta, principalmente quando há a aplicação das duas doses".

A nova variante já foi confirmada em 12 cidades do RJ. Além de Duque de Caxias e Nova Iguaçu, a cepa já foi identificada na capital fluminense, Itaboraí, Itaguaí, Japeri, Maricá, Mesquita, Niterói, Queimados, Seropédica e São João de Meriti.

O estado concentra o maior número de casos da cepa mais transmissível do coronavírus.

VivaBem