PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

Vacinação de covid salvou 63 mil pessoas com mais de 60 anos, diz estudo

Projeção anterior feita pelos mesmos pesquisadores já havia calculado que a vacinação salvou cerca de 40 mil vidas entre pessoas com 70 anos ou mais - GIUSEPPE LAMI/EFE
Projeção anterior feita pelos mesmos pesquisadores já havia calculado que a vacinação salvou cerca de 40 mil vidas entre pessoas com 70 anos ou mais Imagem: GIUSEPPE LAMI/EFE

Do UOL, em São Paulo

11/07/2021 23h58

Um estudo da UFPel (Universidade Federal de Pelotas) aponta que quase 63 mil vidas de pessoas com mais de 60 anos foram salvas no Brasil em função da vacinação contra a covid-19. A pesquisa foi divulgada hoje pelo Fantástico, da TV Globo.

Uma projeção anterior feita pelos mesmos pesquisadores já havia calculado que a vacinação salvou cerca de 40 mil vidas entre pessoas com 70 anos ou mais. Agora, o estudo foi atualizado para incluir também a faixa etária de 60 a 69 anos, e chegou ao número de 62.955 vidas salvas.

"É um dado muito robusto, muito forte. À medida que aumenta a cobertura [vacinal] em uma faixa etária, cai a mortalidade em seguida", explicou o epidemiologista da UFPel Cesar Victora em entrevista ao Fantástico.

Os pesquisadores apontam ainda que a taxa de óbitos por covid após as duas doses da vacina é de apenas 0,02%. Segundo eles, isso não indica uma falha da vacina.

Ao Fantástico, Cesar Victora falou ainda sobre as novas variantes. Segundo ele, quando apenas uma porcentagem pequena da população geral está vacinada, as variantes que conseguem driblar as vacinas acabam circulando mais.

"As novas variantes têm uma transmissão mais alta. Não adianta vacinar duas de cada três, nós temos que vacinar quatro de cada cinco pessoas. Nós teremos que ter 80% da nossa população vacinada", calcula o epidemiologista.

O Brasil chegou hoje à marca de 30,5 milhões de pessoas imunizadas com as duas doses da vacina contra a covid-19 ou com a vacina de dose única. No total, 30.573.383 pessoas estão completamente imunizadas, o que equivale a 14,4% da população.

VivaBem