PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

Morador de Viçosa (MG) toma quatro doses de vacina; prefeitura aciona MPMG

O homem de 61 anos recebeu doses de três imunizantes diferentes, em Viçosa e no Rio de Janeiro - iStock
O homem de 61 anos recebeu doses de três imunizantes diferentes, em Viçosa e no Rio de Janeiro Imagem: iStock

Colaboração para o VivaBem

07/07/2021 17h38Atualizada em 07/07/2021 21h06

Um homem de 61 anos foi flagrado após receber a quarta dose de vacinas contra a covid-19 em Viçosa, Minas Gerais. A prefeitura da cidade emitiu um comunicado informando que ele foi vacinado duas vezes com a CoronaVac, uma com a AstraZeneca e uma com a Pfizer, sendo três delas na Zona da Mata mineira, e outra na cidade do Rio de Janeiro.

Segundo a prefeitura, após tomar ciência do caso, acionou a PGM (Procuradoria-Geral do Município), para as medidas de cunho cível e administrativo, e também ao MPMG (Ministério Público de Minas Gerais), para fins criminais.

A descoberta da fraude aconteceu após o homem procurar um posto de imunização da cidade, alegando ter perdido a data correta de vacinação. Ele apresentou o CPF e recebeu a dose no dia 25 de junho.

No entanto, após a conferência de dados no SIPNI COVID (Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações), foi constatado que essa seria a quarta vacina recebida por ele - duas da CoronaVac e uma da Pfizer em Viçosa, e outra da AstraZeneca no Rio de Janeiro.

A prefeitura disse repudiar "veementemente" a atitude do idoso, "especialmente num momento de tamanha seriedade e comoção em todo o país". Garantiu, também, estar reforçando sua auditoria e conferência de dados da população para evitar outros casos como este. E ressaltou que qualquer pessoa que tomar mais de duas doses de imunizantes contra a covid-19 "está sujeito a implicações previstas em lei".

"O município está agora dando total suporte ao caso, para que todas as providências necessárias sejam tomadas em consonância com os princípios da legalidade e devido à gravidade do momento que a população mundial está passando", diz a nota.

Na cidade há, ainda, a recomendação para que aqueles que se recusarem a receber um imunizante específico ou tentarem escolher qual querem tomar a "assinar um termo de consentimento abrindo mão de sua vez na vacinação".

O MPMG afirmou ter recebido as informações da prefeitura, incluindo "tabelas de controle da aplicação de imunizantes das datas de 31 de março, 22 de abril e 25 de junho de 2021", e cópias da "Ficha do Vacinado" do homem que teria burlado o sistema. Com isso, a partir dos dados encaminhados, o órgão poderá instaurar um procedimento para investigação do caso.

Já a secretaria de Saúde do Rio de Janeiro informou que só poderia apurar e comentar o caso se tivesse acesso aos documentos do suspeito, aos quais o UOL não teve acesso.

VivaBem