PUBLICIDADE

Topo

Café pode mesmo estancar o sangue de um corte?

Priscila Barbosa
Imagem: Priscila Barbosa

Bárbara Therrie

Colaboração para VivaBem

07/07/2021 04h00

Quem nunca durante uma brincadeira ou tarefa doméstica sofreu um corte e a mãe, avó ou a própria pessoa recorreu ao pó de café para estancar o sangramento? Será que essa receita caseira funciona mesmo ou é só mais um mito?

"Usar o produto para essa finalidade é bastante comum, mas trata-se de um costume e de uma prática popular que temos no nosso país. Não existe nenhuma referência científica que afirme ou atribua ao pó de café o poder coagulante ou cicatrizante", afirma Andreia Beatriz Santos, médica de família e comunidade, especialista em saúde coletiva com ênfase em saúde da família pela UESC (Universidade Estadual de Santa Cruz) e professora assistente da UEFS (Universidade Estadual de Feira de Santana), ambas na Bahia.

Jogar café sobre o corte tem justamente o efeito contrário: aumenta o risco de contaminação na pele, prejudicando a cicatrização e promovendo possíveis infecções secundárias, segundo explica Marcos Luiz Gomes, dermatologista, diretor técnico do Hospital da Pele - São Paulo e professor de pós-graduação em dermatologia do Instituto BWS.

Isso ocorre porque o pó de café atuará como um corpo estranho entrando em contato com a musculatura e os vasos sanguíneos.

"Esse pó poderá ser portador de agentes ambientais e biológicos (bactérias e fungos) que poderão acarretar um processo infeccioso no local. A decorrência disso será um retardo na cicatrização da ferida", afirma Francisco Sugai, hematologista no Instituto do Câncer do Estado de São Paulo.

O tempo de cicatrização prolongado pode favorecer um resultado estético negativo.

Por que existe essa crença?

O café é uma bebida milenar e acredita-se que seja originário das plantas nativas das regiões Cafa e Enária, ambas pertencentes as grandes altitudes da Etiópia, no continente africano.

No entanto, os efeitos medicinais passaram a ser explorados quando essa planta foi levada para a Arábia e os árabes foram os primeiros a cultivá-la como "milagrosa". Ela tinha uma grande importância social devido ao seu uso na medicina para diversas doenças.

"Muitas das práticas trazidas pelos povos africanos se incorporaram às práticas de cuidado dos povos indígenas originários em solo brasileiro, resultando em uma série de crenças que ganharam identidade e força de cultura em cada região do país", diz a médica de família e comunidade.

Além disso, a popularização das receitas caseiras também se dá porque no Brasil temos muitas cidades afastadas dos grandes centros, sem assistência médica adequada e com pouco acesso a informação de qualidade.

Os costumes vão passando de geração em geração perpetuando-se na nossa sociedade e nós vamos repetindo, mas cabe aos profissionais de saúde orientar os cuidados da forma correta, respeitando os costumes, prática e tradição locais.

Qual o jeito certo de estancar um sangramento?

A maneira mais indicada é limpar a ferida com água corrente e sabão neutro. Depois, utilize uma gaze ou um pano limpo e dobrado e faça uma compressão no local por 5 a 10 minutos. Caso não pare de sangrar, repita a compressão por mais 5 a 10 minutos.

Se for um ferimento simples, a hemorragia cessará com tais medidas. Caso seja um corte mais profundo, a pessoa deve buscar uma avaliação médica o mais rápido possível, se deslocando até uma unidade de pronto atendimento.