PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Ocupação de UTI em SP fica abaixo de 75% pela primeira vez em 4 meses

Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde de SP, divulgou dados hoje, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes - Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo
Jean Gorinchteyn, secretário da Saúde de SP, divulgou dados hoje, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes Imagem: Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo

Henrique Sales Barros, Lucas Borges Teixeira e Rayanne Albuquerque

Do VivaBem, em São Paulo

30/06/2021 13h32Atualizada em 30/06/2021 14h55

A ocupação de leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para covid-19 em São Paulo ficou abaixo dos 75% pela primeira vez desde 1º de março deste ano. O governo estadual afirma ainda que houve queda nos indicadores de mortes e casos da doença.

De acordo com a Secretaria Estadual da Saúde, o estado tem hoje 9.778 pacientes em leitos de alta complexidade (ocupação de 74,8%) —quase 3.300 a menos do que o início de abril, quando ocupação ultrapassou 13 mil internados em UTIs para covid. Os números foram apresentados hoje em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes.

Segundo dados da Fundação Seade (Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados), usada pelo governo para o levantamento dos dados, a última vez que a lotação de leitos tinha ficado abaixo dos 75% foi em 1º de março deste ano.

Se fizermos a comparação dos números com a semana passada, a nossa ocupação era de 78,9% e, na Grande São Paulo, 77%. Esses índices não só aconteceram no litoral e na Grande São Paulo, como na maioria das cidades do interior"
Jean Gorinchteyn, secretário estadual da Saúde

"As quedas, até a semana passada, se expressavam na diminuição [da ocupação] nas UTIs. Agora, o que passamos ver, é a diminuição das internações em enfermarias", completou Gorinchteyn.

Queda em todos os indicadores

O governo anunciou ainda que houve queda nos índices de internação, casos e óbitos por covid-19 pela primeira vez em nove semanas. O secretário atribuiu a queda dos números ao impacto gerado pela vacinação.

Desde o início da pandemia, o estado soma 3,7 milhões de casos e mais de 126 mil mortes por causa da doença.

São Paulo volta a registrar queda em casos, internações e óbitos por covid pela primeira vez em 9 semanas - Reprodução/Governo do Estado de São Paulo - Reprodução/Governo do Estado de São Paulo
São Paulo volta a registrar queda em casos, internações e óbitos por covid pela primeira vez em 9 semanas
Imagem: Reprodução/Governo do Estado de São Paulo

Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência, explicou que, em janeiro, 58% das internações no estado eram de pessoas com 60 anos ou mais. Em junho, as internações desta faixa etária caíram para 25%. A mesma redução foi observada em números de pacientes internados em UTIs, com redução de 61% para 28%.

Hoje, as pessoas de 40 a 59 anos representam mais da metade dos pacientes que estão internados. Sabemos que a primeira dose da vacina começa a dar proteção 15 dias depois, então a minha expectativa é de que, ao longo desse mês de julho, teremos uma queda no número de internação, de pessoas internadas."
Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência

São Paulo vacinou 53% das pessoas acima dos 18 anos

O governador João Doria (PSDB) informou hoje que 53% da população adulta de São Paulo já tomou ao menos uma dose de vacina contra o coronavírus. Os números representam mais de 18 milhões de pessoas com 18 anos ou mais. Dezoito por cento já estão completamente imunizados, com as duas aplicações da vacina ou com a vacina de dose única.

O gestor também cobrou explicações do Ministério da Saúde sobre os motivos que impedem a distribuição das 3 milhões de doses de vacina da Janssen doadas pelos Estados Unidos ao Brasil.

O governo de São Paulo solicita ao Ministério da Saúde a imediata liberação de 3 milhões de doses de vacinas da Janssen que estão estocadas no depósito do ministério. Faço isso em nome de todos os governadores de estados brasileiros. Nós estamos no dia 30 de junho e as vacinas ainda não foram distribuídas ao PNI [Programa Nacional de Imunização]."
João Doria, governador de São Paulo (PSDB)

Saúde