PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

São Paulo vacina quem tem 47 anos na 6ª e faz repescagem no fim de semana

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), anunciou a atualização do calendário de vacinas da covid-19 na capital - Divulgação/Governo de São Paulo
O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), anunciou a atualização do calendário de vacinas da covid-19 na capital Imagem: Divulgação/Governo de São Paulo

Rayanne Albuquerque, Lucas Borges Teixeira e Mariana Durães

Do VivaBem e colaboração para o VivaBem, em São Paulo

23/06/2021 13h38Atualizada em 23/06/2021 16h19

Após a suspensão da aplicação de doses da vacina contra covid-19 por um dia, a Prefeitura de São Paulo afirma que está retomando o ritmo de imunização como havia previsto. O prefeito Ricardo Nunes (MDB), anunciou hoje, em coletiva de imprensa ao lado do governador João Doria (PSDB), que a população com mais de 47 anos será imunizada na sexta-feira (25) e que haverá repescagem para vacinação de pessoas de 47 a 49 anos no sábado (26).

Hoje, recebemos 181 mil doses da vacina [CoronaVac], mais 30 mil [AstraZeneca]. Receberemos na quinta-feira [24] 120 mil doses, o que somam 331 mil doses. O que é suficiente, necessário para que façamos a vacinação das pessoas de 49, 48 e 47 anos [na quarta, na quinta e na sexta] e no sábado a repescagem desse público, com o total de 314 mil pessoas.
Ricardo Nunes, prefeito de São Paulo (MDB)

Nunes disse que a prefeitura tem trabalhado para acelerar ainda mais o calendário de vacinação e que as datas para novas faixas etárias devem ser divulgadas até sábado (25).

Para ele, é "completamente natural" que haja ajustes no plano de imunização. "As adequações são necessárias. Tínhamos, a princípio, que seriam duas idades por dia, e a gente readequou. Isso é feito para o conforto da população", argumentou.

Apagão foi minimizado hoje

Prefeitura e governo estadual passaram dois dias trocando farpas por causa da falta de vacinas na capital, na segunda-feira (21). Hoje, Nunes e Doria participaram juntos de uma entrevista e voltaram as críticas ao Ministério da Saúde, que compra e entrega das doses de imunizantes.

"Temos uma dependência do Ministério da Saúde", disse o prefeito.

Ele também fez um apelo à população, pedindo para que evitem escolher as vacinas que serão aplicadas, porque todas são eficazes contra a covid-19. A mesma linha de defesa dos imunizantes foi feita pelo governador João Doria, afirmando que qualquer informação contrária sobre a eficácia é fruto de "fake news".

Doria orientou ainda que a população tome a segunda dose no mesmo local em que se imunizou com a primeira para facilitar a logística de vacinação.

Tomem a sua segunda dose no local que tomaram a primeira dose, porque isso melhora a logística e facilita. Não escolham vacina, tomem a vacina da primeira dose, já que a da segunda dose deve ser da vacina que você tomou a primeira. Eu mesmo, como governador de São Paulo, tomei a vacina da CoronaVac, as duas doses.
João Doria, governador de São Paulo (PSDB)

O governo anunciou hoje que superou a meta de vacinação da população com mais de 70 anos —90% deste público já tomou as duas doses do imunizante.

Com isso, o coordenador do Centro de Contingência da Covid-19, Paulo Menezes, ressaltou que, quanto mais pessoas vacinadas, menor a transmissão. De acordo com ele, o impacto da imunização deve aparecer nas próximas semanas.

Da semana passada para cá, tivemos um aumento de casos, em torno de 480 casos por 100 mil habitantes e isso passou para 520 --um aumento de 18%. Por outro lado, o indicador de internações por habitantes teve movimento contrário, passamos de 82 por 100 mil para 72 por 100 mil.
Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência

Confira o calendário de vacinação na capital paulista:

  • 49 anos: 23 de junho
  • 48 anos: 24 de junho
  • 47 anos: 25 de junho
  • Repescagem para 47 a 49 anos no fim de semana

Saúde