PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Profissionais de transporte coletivo poderão se vacinar contra a covid

Novas categorias foram incluídas pelo Ministério da Saúde no plano prioritário de imunização - Evandro Leal/Enquadrar/Estadão Conteúdo
Novas categorias foram incluídas pelo Ministério da Saúde no plano prioritário de imunização Imagem: Evandro Leal/Enquadrar/Estadão Conteúdo

Do VivaBem, em São Paulo

23/06/2021 11h43Atualizada em 23/06/2021 12h00

Motoristas, cobradores e outros profissionais que atuam em transportes coletivos rodoviários de passageiros poderão ser vacinados contra a covid-19 em todo o país. Trabalhadores do ensino superior também serão priorizados de acordo com a nova determinação da pasta.

De acordo com informações divulgadas pelo Ministério da Saúde, a medida passou a valer porque nas próximas 48 horas a pasta pretende entregar aos estados e ao Distrito Federal mais 7 milhões de doses dos imunizantes da Janssen, Pfizer e CoronaVac.

Até o momento, segundo o ministério, foram distribuías mais de 123 milhões de vacinas contra a covid-19.

Ontem, o Brasil alcançou a marca de 24,5 milhões de vacinados com 2 doses. O número representa 11,57% da população. Os números foram obtidos pelo consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, que toma como base dados fornecidos pelas secretarias de saúde dos estados.

A primeira dose de imunizante foi aplicada em 1.218.105 brasileiros entre a segunda-feira (21) e ontem, elevando para 65.654.739 o total de vacinados nesta etapa inicial — o equivalente a 31% da população do país. Outros 118.832 receberam a segunda dose em 24 horas.

Número de óbitos e casos segue em alta

A vacinação, aliada aos protocolos sanitários, como distanciamento social, uso de máscaras e uso de álcool em gel — ou lavar as mãos — são métodos capazes de frear o avanço da covid-19.

Com a flexibilização do comércio e o atraso de entregas dos imunizantes, as ações de combate ao vírus enfrentam gargalos, e os números de mortes e casos continuam a subir.

Três dias após o Brasil atingir as 500 mil mortes pela covid-19, o país superou ontem a marca de 18 milhões de infectados. O número leva em consideração registros das secretarias de saúde estaduais desde março de 2020. Os números foram obtidos pelo consórcio de imprensa.

Foram registrados 86.833 novos casos até as 20h de ontem, totalizando 18.056.639. Em 24 horas, o Brasil também teve 2.080 mortes pela doença. O total de óbitos chegou ontem a 504.897.

Saúde