PUBLICIDADE

Topo

Paquetá, no Rio, dá início a vacinação em massa e se prepara para Carnaval

Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, aplica vacina contra covid-19 em moradora da ilha de Paquetá, no Rio, e dá início a projeto de vacinação em massa da população local - ERBS JR./FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO
Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, aplica vacina contra covid-19 em moradora da ilha de Paquetá, no Rio, e dá início a projeto de vacinação em massa da população local Imagem: ERBS JR./FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

De Viva Bem, em São Paulo

20/06/2021 10h39Atualizada em 20/06/2021 13h06

A Prefeitura do Rio Janeiro começou na manhã de hoje a vacinar toda a população acima de 18 anos da ilha de Paquetá contra a covid-19. A abertura da vacinação contou com a participação do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Todos os moradores serão vacinados até o final do dia.

A ação faz parte do projeto "PaqueTá Vacinada", realizado pela SMS (Secretaria Municipal de Saúde) com apoio da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) e que terá o objetivo de avaliar os efeitos da imunização em larga escala. A vacina aplicada é a de Oxford/AstraZeneca.

Ao final da campanha, o prefeito Eduardo Paes (PSD) prometeu fazer um Carnaval fora de época na ilha, em setembro, que servirá como evento teste para uma eventual festa na cidade após a pandemia.

Paquetá tem uma população de 4.180 moradores, dos quais 3.530 são maiores de 18 anos cadastrados na Estratégia Saúde da Família. Já foram aplicadas mais de 3.000 doses da vacina contra a covid-19 pelo calendário do município para os grupos prioritários, sendo cerca de 2.000 primeiras doses mil segundas. O projeto vai vacinar toda a população adulta que ainda não recebeu uma dose do imunizante.

A vacinação acontece em quatro pontos da ilha: UIS Manoel Arthur Villaboim, Parque Darke de Mattos, Paquetá Iate Clube e Casa de Artes Paquetá.

Apenas a população residente será vacinada na ação, conforme os cadastros da Estratégia Saúde da Família e os feitos durante a última semana. Turistas que tenham ido passar o domingo na ilha não serão vacinados no estudo.

Carnaval em setembro

O Carnaval fora de época em Paquetá deverá ocorrer 14 dias após todos os adultos da ilha terem tomado a segunda dose da vacina contra a covid-19 e quando já não houver registro de casos da doença entre a população local.

De acordo com a prefeitura, o evento será em espaço controlado no Parque Darke de Mattos, fechado para um número restrito de participantes, que, obrigatoriamente, terão de estar todos vacinados e acompanhados pelas equipes de saúde. Todos serão monitorados, antes e depois do evento, conforme cronograma e metodologia do projeto.

Estudo vai acompanhar efeitos sobre população não vacinada

O acompanhamento da população da ilha tem por objetivo avaliar a segurança da vacina e como a vacinação em massa atua na proteção também de pessoas que não foram vacinadas, como é o caso das crianças e adolescentes.

Além disso, o estudo vai observar se a primeira dose da vacina é capaz de evitar a transmissão dos casos na região ou se isso só acontece efetivamente após a aplicação da segunda dose.

Antes da vacinação, cerca de 3.000 moradores, tanto maiores quanto menores de idade, passaram por exame de sangue sorológico ou teste rápido na última semana para análise comparativa de presença de anticorpos com os momentos antes e após a vacinação. Nos 12 meses subsequentes, continuará a ser feito o monitoramento dos moradores.

*Matéria em ampliação