PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Butantan entrega mais 1 milhão de doses da CoronaVac; envios já somam 50 mi

O Governador de São Paulo, João Doria (centro), durante a liberação de novas doses da vacina do Butantan para o PNI - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
O Governador de São Paulo, João Doria (centro), durante a liberação de novas doses da vacina do Butantan para o PNI Imagem: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

Lucas Borges Teixeira

Do UOL, em São Paulo

16/06/2021 08h37Atualizada em 16/06/2021 08h46

O Instituto Butantan entregou hoje mais 1 milhão de doses da CoronaVac ao Ministério da Saúde. Com isso, o centro de pesquisa ultrapassa 50 milhões de doses enviadas —a metade do previsto até setembro.

Esta é a terceira remessa ao PNI (Programa Nacional de Imunização) desde a última sexta (11), após quase um mês de paralisação por causa do atraso na importação de insumos vindos da China. A expectativa é que as entregas sigam no ritmo.

Ao todo, o Butantan já enviou 50,012 milhões de doses da CoronaVac. A fabricante cumpre o segundo contrato com o Ministério da Saúde, que prevê —somado ao primeiro contrato— a compra de 100 milhões de doses até 31 de setembro.

Na próxima sexta (18), o governo deverá entregar pouco mais de 2,2 milhões de doses, que fechará esta última leva de insumos vindos da China no mês passado.

Doria culpa Bolsonaro por atraso de insumo chinês

O instituto retomou agora ritmo de entrega de doses. Um atraso na remessa de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) pela China paralisou a produção da CoronaVac no Brasil entre 14 e 27 de maio.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), acusa a gestão de Jair Bolsonaro (sem partido) de gerar um entrave com o país oriental e atrasar os envios.

Um novo lote de 6.000 litros de IFA, o bastante para a produção de mais 10 milhões de doses, deverá chegar a São Paulo na semana que vem, até o dia 28 de junho. Segundo Doria, a data exata será anunciada na sexta.

Saúde