PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Mãe perde filha com Down que estava a 5 dias da vacinação: 'Coração sangra'

Portadora de síndrome de Down foi intubada cinco dias antes de receber primeira dose da vacina contra a covid-19 - Reprodução/Facebook
Portadora de síndrome de Down foi intubada cinco dias antes de receber primeira dose da vacina contra a covid-19 Imagem: Reprodução/Facebook

Colaboração para VivaBem, em São Paulo

15/06/2021 09h40

Abalada pela morte da filha que era portadora de síndrome de Down, a empresária Maitê Martinelli desabafou nas redes sociais sobre aglomerações, uso de máscara e qualificou o coronavírus como "traiçoeiro e lastimável". Juliana Martinelli, de 46 anos, morreu em Santos, a cerca de 60 km de São Paulo, no dia 2 de junho, e foi intubada cinco dias antes de receber a primeira dose da vacina.

"Está muito difícil, estou inconsolável... preciso desabafar." Foi assim que Maitê começou seu relato 11 dias depois de perder a filha Julianna. "Minha filha virou a mais linda e brilhante estrela do céu."

Em depoimento tomado por emoção em sua rede social, Maitê diz está sem sair de casa desde março de 2020, e que somente sua filha mais nova saía para trabalhar. Ainda assim, lamenta por ter contraído o vírus e se revolta por, segundo ela, "tantos cidadãos brasileiros que levam a vida normal e esnobam tal vírus".

Será que só sofre quem perdeu alguém que ama? As pessoas nas ruas, em festas, sem máscaras... Não sei mais o que sentir, está tudo misturado entre indignação, raiva, revolta... Coração sangrando!"

Maitê e suas duas filhas, Ana Carolina e Julianna, contraíram o novo coronavírus em 28 de abril, mas somente a terceira teve sintomas mais graves e precisou ser hospitalizada em 5 de maio, cinco dias antes de receber a primeira dose do imunizante contra a doença.

"Minha Juju precisou ser hospitalizada e foi intubada já na sala de emergência, sendo conduzida para UTI [Unidade de Terapia Intensiva] covid. Ela vacinaria dia 10 de maio, no grupo prioritário da síndrome de Down, mas não deu tempo", registra Maitê, que recebeu apoio de dezenas de pessoas nos comentários da publicação.

Por fim, a santista ainda pede que as pessoas levem a sério o vírus: "Quem acha que esse vírus não passa de uma 'gripezinha', coloque o amor no coração e mude os seus conceitos. Pensem na quantidade de pessoas que estão sofrendo e perdendo seus amores", desabafa.

Saúde