PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

Doria promete resultados da ButanVac em 120 dias e 40 mi doses até outubro

O governador João Doria falou sobre a ButanVac durante o lançamento do Programa Dignidade Íntima - Divulgação
O governador João Doria falou sobre a ButanVac durante o lançamento do Programa Dignidade Íntima Imagem: Divulgação

Ana Paula Bimbati

Do UOL, em São Paulo

14/06/2021 19h27

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), prometeu hoje que terá os resultados dos testes da vacina ButanVac em até 120 dias. Nesta semana, segundo o tucano, terão início os testes da fase 1.

Provavelmente, antes do final deste mês estaremos iniciando todo o programa de testagem da fase 1. A tendência é que ele vá rápido, é um programa para as fases 1, 2 e 3. A expectativa do professor Dimas Covas é de que, no limite de 120 dias, no máximo, já tenhamos os resultados."
João Doria

Na última quarta-feira (9), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou o início da pesquisa clínica da vacina ButanVac contra a covid-19. Os testes serão realizados pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

Na ocasião, o governador destacou que o instituto já começara a produzir o imunizante. Além de ter 7 milhões de doses prontas e estocadas da ButanVac, outras 18 milhões serão produzidas até 31 de julho e mais 40 milhões até 30 de outubro, de acordo com o governador.

Até o momento, segundo Doria, o Ministério da Saúde não formalizou interesse na compra da ButanVac.

O ministro Marcelo Queiroga conversou com nosso presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, mas foi uma conversa informal. Não houve a solicitação formalizada pelo Ministério da Saúde com interesse na aquisição da vacina ButanVac."
João Doria

Caso não haja acordo com o governo federal, Doria pretende utilizar o imunizante em São Paulo e exportá-lo a outros estados, municípios e até países. "Temos seis países da América Latina que já solicitaram ao Butantan tão logo tenhamos a aprovação da vacina pela Anvisa. Eles têm interesse na vacina tendo em vista o novo processo vacinal do ano que vem", disse.

No estado paulista, as doses poderão ser usadas no Plano Nacional de Imunização ou para a etapa de 2022 da vacinação. "Custa R$ 10 cada [dose de] vacina. Quatro, cinco, seis, sete vezes menos que as outras vacinas [contra a covid-19] importadas, inclusive a própria CoronaVac", afirmou Doria. A vacina produzida pelo laboratório Sinovac, por exemplo, custa cerca de R$ 58 por dose.

Sobre a exportação para outros governadores, Doria sugere que peçam reembolso ao governo federal após a efetivação da compra. "O Plano Nacional de Imunização, através do SUS, é de competência do governo federal, e cabe ao governo federal pagar", apontou Doria.

R$ 30 mi para higiene menstrual em escolas

A promessa sobre a ButanVac ocorreu durante anúncio do governo do estado do programa Dignidade Íntima, criado para distribuir produtos de higiene menstrual nas escolas da rede. Ao todo, serão investidos R$ 30 milhões para a compra de itens de higiene e a formação de profissionais da educação sobre o tema. Estima-se que 1,3 milhão de estudantes serão beneficiadas.

Uma pesquisa feita pela antropóloga Mirian Goldemberg indica que um em cada quatro estudantes que menstruam já deixou de ir às aulas por não ter condições financeiras de manter a higiene no período das aulas.

As alunas perdem até 45 dias de aula por causa do período menstrual. É um tema que precisa ser tratado com todo o cuidado para que essas alunas não sejam expostas."
Rossieli Soares, secretário de educação

Questionado pelo UOL se alunos trans também receberiam suporte, o secretário afirmou que "todos que precisarem serão atendidos".

"Não pode ser a pobreza, o distanciamento, a vulnerabilidade a limitar a oportunidade de vida, principalmente na escola", completou Doria. O tucano afirmou ainda que "as professoras e diretoras sabem quem precisa ou não precisa de absorventes".

VivaBem