PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Teste de gravidez caseiro existe? Conheça os principais e saiba a eficácia

Nem todas as mulheres têm acesso a testes de gravidez e recorrem a caseiros - iStock
Nem todas as mulheres têm acesso a testes de gravidez e recorrem a caseiros Imagem: iStock

Carol Firmino

Colaboração para VivaBem

11/06/2021 04h00

Basta uma menstruação atrasada ou alguns sintomas de gravidez para já ligar o sinal de alerta na mulher. Em meio ao desespero ou até mesmo animação com a possibilidade de ter um filho, muitas recorrem a um teste de gravidez caseiro. Há muitos supostos testes do tipo por aí, mas algum realmente funciona?

Os testes mais comuns são encontrados na farmácia e vendidos sem a necessidade de receita. No entanto, muitas vezes, a dificuldade de acesso e esses tipos de testes faz com que surjam receitas um tanto inusitadas e que prometem atestar uma gravidez.

Afinal, é possível descobrir sozinha se está grávida?

Testes de gravidez caseiros

Ferver urina, misturar com óleo essencial de pinho, misturar com vinagre... Há inúmeras sugestões. No entanto, as especialistas consultadas afirmam que esses testes não possuem qualquer comprovação científica e não utilizam nenhuma base hormonal para serem executados.

Inclusive, podem causar uma ansiedade desnecessária e, dependendo do método, riscos indesejáveis. Com o objetivo de sanar dúvidas a respeito de alguns testes de gravidez caseiros bastante disseminados, explicamos por que cada um deles não é eficaz:

Teste de fervura da urina

Como é: se o líquido ferver como leite e não como água, o resultado seria positivo.

Explicação: o ponto de ebulição da água e das diferentes substâncias que compõem a urina são diferentes. Portanto, a urina provavelmente não vai ferver como a água, o que indicaria um teste falsamente positivo em muitos casos. Outro ponto importante é que a urina da gestante só terá alterações bioquímicas identificadas após o primeiro trimestre.

Teste da pasta de dente

Como é: ao misturar a substância com a urina da mulher, a mudança de cor indicaria gravidez.

Explicação: não há qualquer possibilidade de a pasta de dente promover tal reação química. Na verdade, se o teste for feito com a urina de um homem ou de uma mulher, pode ocorrer a formação de espuma, dependendo da acidez do xixi e do produto.

Teste do sal

Como é: ao diluir sal na urina, a formação de uma nata sugere resultado positivo.

Explicação: segundo as especialistas, este teste segue a mesma premissa do anterior, ou seja, não há qualquer relação.

Teste da água sanitária

Como é: ao diluir urina na água sanitária, a formação de espuma sugere gravidez.

Explicação: não somente não há nenhuma confiabilidade nesse tipo de teste, como essa mistura pode resultar em gases tóxicos, por isso não é recomendado.

Teste do cotonete

Como é: ao inserir o cotonete na vagina, seria possível verificar a presença ou não de sangramento e, consequentemente, a existência de uma gravidez.

Explicação: nem toda gestação inicial terá sangramento, bem como a existência ou não de sangue pode ter causas diversas. Sobre esse teste, especificamente, as especialistas alertam para os riscos que introduzir objetos no canal vaginal pode trazer. Dependendo da forma como isso for feito, há possibilidade de machucar o colo do útero.

Cuidado e precisão

Os testes confiáveis para diagnosticar uma gravidez são os encontrados na farmácia e os de sangue, feitos em laboratórios, além da ultrassonografia. No primeiro, detecta-se a presença do beta HCG na urina, um hormônio liberado na circulação sanguínea materna após a implantação do embrião, o que tipicamente ocorre de oito a 10 dias após a ovulação.

Já o segundo é o mais preciso, pois é possível encontrar o beta HCG no sangue da mãe ainda em concentrações bem baixas, até 20 vezes menor do que o necessário para detectar a gravidez com um teste de urina. Além disso, as chances de um resultado positivo são maiores nos dias em que a menstruação deveria vir, ou seja, com atraso menstrual.

Independentemente do teste realizado, é necessário acompanhar o uso de medicamentos que podem interferir na precisão do exame, como a ingestão do próprio HCG (em cápsulas, por exemplo) e de biotina em excesso.

A biotina ou vitamina B7 é uma suplementação que ajuda a metabolizar carboidratos, gorduras e proteínas, além de ser importante para a saúde da pele, dos cabelos e das unhas.

Gravidez psicológica e ansiedade

Pseudociese é o nome científico da chamada gravidez psicológica. Essa é uma situação rara em que a mulher acredita que está gestante e apresenta sintomas compatíveis com a condição, como volume abdominal, sensibilidade das mamas, atraso menstrual e outros.

Neste caso, entretanto, a realização de testes não vai indicar que ela está grávida, já que não há produção do hormônio beta HCG. Se o diagnóstico for confirmado, o tratamento indicado é a psicoterapia.

Em relação à ansiedade, é comum que a mulher precise lidar com esse sentimento —seja na expectativa de um resultado positivo ou negativo.

Segundo as especialistas, isso acontece, principalmente, porque os sintomas iniciais de uma gravidez são semelhantes aos efeitos pré-menstruais no corpo, como inchaço, alterações de humor, cólicas e mais.

Fontes: Beatriz Barbosa, médica pela UMC (Universidade de Mogi das Cruzes), residência na Maternidade Escola Vila Nova Cachoeirinha (SP), ginecologista e obstetra da Clínica Mantelli; Evelyn Prete, ginecologista e obstetra com residência pela Maternidade Jesus, José e Maria de Guarulhos (SP); Julia Barbi Melim Marques, mestre pela UFCSPA (Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre), residência em ginecologia e obstetrícia e aprimoramento médico em medicina fetal e obstetrícia de alto risco no Hospital Israelita Albert Einstein (SP), ginecologista e obstetra da Doctoralia.

Saúde