PUBLICIDADE

Topo

Após quase 1 mês, Butantan entrega 800 mil doses da CoronaVac à Saúde

11.jun.2021 - O Governador do Estado de São Paulo João Doria (PSDB) durante a liberação de novas doses da vacina do Butantan para o PNI - Divulgação/Governo do Estado de São Paulo
11.jun.2021 - O Governador do Estado de São Paulo João Doria (PSDB) durante a liberação de novas doses da vacina do Butantan para o PNI Imagem: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo

De VivaBem, em São Paulo*

11/06/2021 10h13Atualizada em 11/06/2021 11h02

O Instituto Butantan entregou na manhã de hoje 800 mil doses da CoronaVac ao PNI (Programa Nacional de Imunização), do Ministério da Saúde, para a imunização contra a covid-19 no Brasil, totalizando 48 milhões de doses entregues, segundo o João Doria (PSDB), governador do estado de São Paulo. A última entrega da vacina pelo instituto paulista à união foi em 14 de maio, há quase um mês.

Além do governador, o evento contou com as presenças do diretor do Butantan, Dimas Covas, a coordenadora de Controle de Doenças do estado de São Paulo, Regiane de Paula, e do secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn. Este último confirmou ontem à VivaBem a entrega desse novo lote.

Doria publicou um vídeo em seu Twitter para divulgar o envio da nova remessa. "Aqui nessas caixas [estão] mais 800 mil doses da vacina do Butantan, da vacina da vida", declarou.

Esta é a primeira entrega com o lote dos 3 mil litros de IFA (Insumo Farmacêutico Ativo) que chegaram ao Brasil no último dia 25. Ao todo, o Butantan estima que rendam 5 milhões de doses.

A entrega do imunizante produzido em parceria com a Sinovac tem sofrido janelas por causa do atraso dos insumos vindos da China. A produção da vacina ficou paralisada de 14 a 27 de maio.

Doria critica Bolsonaro

Durante a entrega do novo lote, João Doria criticou o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de publicar um parecer a fim de desobrigar pessoas vacinadas ou que já tenham sido infectadas pela covid-19 de usarem máscara. Para Doria, o posicionamento do atual mandatário é "mais um ato de irresponsabilidade" e mostra que "Jair Bolsonaro não tem compaixão e não tem nenhum apreço pela vida, principalmente pela vida do povo brasileiro".

O uso da máscara é obrigatório em todo o estado de São Paulo sendo utilizado como uma das medidas de combate à disseminação do novo coronavírus. Gorinchteyn reforçou a fala de Doria e apontou a necessidade de todos usarem máscara, mesmo sendo já vacinado ou infectados pelo vírus.

Previsões do governo federal

Ontem, o Ministério da Saúde reduziu, pela terceira semana seguida, a previsão de entrega de vacinas contra a covid-19 para o mês de junho, dessa vez com a diminuição das entregas por parte do consórcio Covax em pouco menos de 2 milhões de doses.

A previsão é apresentada pelo ministério semanalmente. Em 19 de maio, contava-se com 52,2 milhões de vacinas. Esta semana, essa contabilidade está em 37,9 milhões.

*Com informações de Lucas Borges Teixeira, de VivaBem, em São Paulo e do Estadão Conteúdo