PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

André Marques foi picado por vespa; reação alérgica pode ser grave

Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Do VivaBem, em São Paulo*

18/05/2021 12h13

O apresentador André Marques foi picado por uma vespa durante a gravação do programa "No Limite" e compartilhou a foto do inseto no Instagram.

Sem saber exatamente que bicho era aquele, Marques perguntou aos fãs. "Alguém sabe que bicho é esse, meio marimbondo meio besouro?". Ele ainda disse que estava sentindo muita dor.

Organismo tenta se defender

Ter uma reação alérgica a picada ou mordida de inseto —formiga, vespa, abelha— revela que o organismo está tentando se defender bravamente contra invasores que foram inoculados pela pele, como saliva, veneno, anticoagulantes e outros agentes estranhos e nocivos.

Essa resposta varia de pessoa para pessoa, independente de idade e pode se manifestar de forma leve, moderada ou grave. No caso do André Marques, ele relatou apenas dor, o que leva a crer que não foi nada mais sério.

O problema é quando a reação induz uma hipersensibilidade no organismo inteiro a ponto de colocar a vida da pessoa em perigo. Em segundos, ou minutos, pode ocorrer queda da pressão, taquicardia, inchaços da cabeça aos pés, obstrução das vias aéreas, náuseas e suores intensos. Esses sintomas caracterizam o choque anafilático (anafilaxia), que é mortal.

Em comum, abelhas e vespas atacam em bandos, principalmente quando são ameaçadas. Jéssica de Araújo Isaias Miller, doutoranda do Programa Multicêntrico em Bioquímica e Biologia Molecular da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) explica que as vespas, embora parecidas com as abelhas, não morrem quando ferroam, sendo capazes de picar mais de uma vez e até borrifar veneno nos olhos da vítima.

"As vespas Parachartergus fraternus têm características únicas. São pretas, grandes, fazem um zumbido bem forte e podem matar, seja pela reação alérgica em pessoas sensíveis ou pelo ataque de muitos espécimes. Também podem levar a danos em órgãos vitais, como rins e fígado", complementa.

*Com informações da reportagem publicada em 08/11/2019.

Saúde