PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Especialistas veem meta de vacinar todos em 2021 'bastante improvável'

Do VivaBem, em São Paulo

04/05/2021 10h33

Para os cientistas Drauzio Varella, Natalia Pasternak e Esper Kallás, que participaram hoje do UOL Debate - Quando estaremos todos vacinados contra covid-19?, a meta do ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, de vacinar toda a população brasileira contra covid-19 até o fim do ano é "bastante improvável".

Ontem, Queiroga disse estar "muito entusiasmado com a possibilidade de vacinar toda a nossa população brasileira até o final do ano", segundo ele, uma meta "absolutamente plausível". Para os especialistas, a meta seria possível se não houvesse falta de vacina e de uma melhor logística para a vacinação.

"Possível é. Nós temos um dos melhores Programas Nacionais de Imunização do mundo inteiro. Nós só não temos vacinas. Acho que não vamos ter acesso ao número de vacinas que seriam necessárias para vacinar os 210 milhões de brasileiros", afirmou Drauzio Varella, oncologista. A conversa foi mediada pela jornalista Fabíola Cidral, apresentadora do UOL.

Para atalia Pasternak, microbiologista e presidente do Instituto Questão de Ciência, cumprir o prazo "vai ser difícil": "Ele [Queiroga] precisa realmente correr atrás dos contratos, e a gente sempre tem que lembrar que processo industrial é cheio de percalços e gargalos. A gente viu isso acontecer durante 2020, que não é tão simples assim você simplesmente prever 'olha eu vou ter 100 milhões de doses para entregar para o Brasil em setembro de 2021'. Isso pode sofrer alguns percalços no caminho, por exemplo essas doses atrasarem, não chegarem na data", afirmou.

Pasternak, no entanto, destaca como "interessante" a mudança no discurso do ministro, o quarto a assumir a pasta durante a pandemia.

"Pelo menos ele usa máscaras, fala favoravelmente sobre vacinas, ele não fala que vacina vai te transformar num jacaré, nem que os contratos são leoninos e por isso não vai comprar, ou que estão querendo explorar o pobrezinho do Brasil. Então ele está disposto a comprar vacinas e a falar para o público que vacinas são importantes. Acho que isso já é um avanço".

Para o infectologista Esper Kallás, a meta é possível. "Acho que tem [como vacinar]. A projeção é que a gente chegue entre 12 e 16 bilhões de doses até o fim de 2021 [no mundo]. Acho que basta estabelecer uma estratégia e criar os meios para essa vacina chegar aqui. Precisa de muito investimento, vontade política e formas de trazer para a população a importância que vacinas têm para a contenção de doenças infecciosas".

Saúde