PUBLICIDADE

Topo

Covid: CoronaVac tem eficácia de 50% contra variante brasileira, diz estudo

Estudo da UnB indicou eficácia da CoronaVac contra variante da covid encontrada no Amazonas - IGOR DO VALE/ESTADÃO CONTEÚDO
Estudo da UnB indicou eficácia da CoronaVac contra variante da covid encontrada no Amazonas Imagem: IGOR DO VALE/ESTADÃO CONTEÚDO

Colaboração para o UOL

27/04/2021 17h20

Uma pesquisa que está sendo realizada por cientistas da Universidade de Brasília (UnB) indicou eficácia da CoronaVac, imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac, contra a variante do novo coronavírus, que foi encontrada no Amazonas no começo deste ano.

O estudo conta com a participação de 67 mil profissionais de saúde de Manaus que receberam a primeira dose da CoronaVac. O resultado obtido aponta 50% de efetividade na prevenção contra a covid-19.

Os cientistas da equipe Vebra Covid-19, responsáveis pelo estudo, observaram os efeitos da vacina após 14 dias de aplicação da primeira dose. Os pesquisadores também irão avaliar a eficácia do imunizante considerando a aplicação da segunda dose.

"O estudo aponta que a vacina tem efetividade para evitar hospitalização e óbitos, mesmo na presença de uma variante classificada como de preocupação internacional pela Organização Mundial da Saúde", aponta Wildo Navegantes, professor de epidemiologia da Faculdade UnB Ceilândia (FCE) e pesquisador do grupo Vebra Covid-19.

Além de avaliar a eficácia da Coronavac, os cientistas também querem analisar a efetividade das vacinas desenvolvidas pela Sinovac Biotech e pela Oxford/AstraZeneca em idosos de Manaus e outras cidades da federação.

"O grupo tem interesse em estudar a efetividade das vacinas [contra covid-19] em uso no Brasil em outras cidades que tenham interesse. Já estamos trabalhando com dados de São Paulo e Campo Grande", enfatiza Wildo.