PUBLICIDADE

Topo

Vegetarianismo, adotado por Medina, afeta desempenho físico de atletas?

Gabriel Medina posta foto com Yasmin Brunet - Reprodução
Gabriel Medina posta foto com Yasmin Brunet Imagem: Reprodução

Do VivaBem*, em São Paulo

21/04/2021 16h30

O racha entre a família Medina tem rendido muito assunto. Um dos pontos que chama atenção, como reportou a coluna Olhar Olímpico, é a dieta vegetariana adotada recentemente por Gabriel Medina. Havia um entendimento de que ele surfa melhor comendo carne, por isso essa mudança de hábito poderia afetar a carreira dele, segundo os familiares. Mas será que esse tipo de dieta é prejudicial para o desempenho físico de atletas?

Segundo Paola Machado, colunista de VivaBem e mestre e doutora em ciências da saúde pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), a prática vegetariana bem planejada é saudável para qualquer pessoa em todos os ciclos e estágios da vida, inclusive atletas.

Machado, em uma de suas colunas, cita um artigo da Revista Nutrição, de 2006, na qual explica que não foram encontradas diferenças significativas na capacidade aeróbica e de força em indivíduos que seguiram diferentes dietas —apesar de haver necessidade de mais estudos sobre o tema.

Ainda de acordo com especialistas, é possível repor as proteínas em fontes vegetais no cardápio de um atleta, mas é preciso ter um acompanhamento de perto de profissionais da área de nutrição.

Em 2009, a ADA (Associação Dietética Americana) publicou um posicionamento em que afirma que dietas vegetarianas e também veganas, desde que bem planejadas, são nutricionalmente adequadas e podem trazer benefícios para a saúde, porque ajudam na prevenção e no tratamento de certas doenças, envolvendo menores taxas de hipertensão e diabetes tipo 2.

Segundo a associação, os bons resultados da dieta vegetariana são reflexo de menor ingestão de gordura saturada e colesterol e aumento do consumo de frutas, legumes, grãos integrais, nozes, produtos de soja, fibras e fitoquímicos.

De acordo com a fisiologista do exercício e da nutrição, pode-se afirmar que o atleta vegetariano terá uma melhor qualidade de vida, menor risco de desenvolver doenças crônicas não transmissíveis e melhor desempenho esportivo. "Mas desde que a dieta seja bem planejada e adequada às suas necessidades nutricionais e ele mantenha os hábitos de uma vida saudável", explica Machado.

Em dietas mal planejadas, atletas vegetarianos podem estar em risco de baixa ingestão de proteína, energia, gordura e micronutrientes importantes na prática esportiva, tais como ferro, cálcio, vitamina D, riboflavina, zinco e vitamina B12. Por isso, uma consulta com um nutricionista esportivo é recomendada para evitar esses problemas nutricionais.

Abaixo, confira algumas dicas de fontes de proteínas do Guia Alimentar de Dietas Vegetarianas para Adultos (2002):

  • Cereais integrais: aveia, arroz integral, centeio, quinoa, trigo, cevada.
  • Feijões: azuki, preto, branco, vermelho, lentilha, rajado, ervilha verde partida, grão-de-bico.
  • Sementes: amêndoas, noz, amendoim, avelã, castanha-de-caju, castanha-do-pará, gergelim tostado, linhaça, semente de abóbora, semente de girassol, semente de melancia, nozes, pistache, pinhão, macadâmia.
  • Legumes: alcachofra, berinjela, cebola, cogumelo branco e shitake, abóbora, abobrinha, beterraba, cenoura, chuchu, pimentão vermelho e verde, quiabo, rabanete, tomate, pepino.
  • Queijos (lista para indivíduos que aderem a dieta ovo-lacto e lacto-vegetariana): cheddar, cottage, cream cheese com e sem gordura, muçarela, parmesão duro, provolone, ricota, prato, brie, camembert, roquefort, suíço.

* Com informações de reportagens publicadas nos dias 07/05/2018 e 05/02/2019.