PUBLICIDADE

Topo

Com preguiça de cozinhar? Veja como se alimentar bem mesmo morando sozinho

iStock
Imagem: iStock

Simone Cunha

Colaboração para o VivaBem

16/04/2021 04h00

Resumo da notícia

  • Muitas pessoas associam praticidade a refeições industrializadas, mas isso geralmente leva a uma alimentação pobre em nutrientes
  • Felizmente, há alimentos práticos e saudáveis e as indústrias têm olhado para esse público com mais atenção
  • Cada vez mais têm opções de vegetais e leguminosas congelados no supermercado, mas também é bom saber o que comprar no mercado e como armazenar

Geralmente, a geladeira de quem mora sozinho tem comida pronta congelada e, na despensa, macarrão instantâneo e enlatados. Nos dias em que nada disso desperta o apetite, o delivery acaba sendo a melhor solução. A rotina até pode ser prática, mas o problema é que essas refeições costumam ser pobres em nutrientes, prejudicando também a saúde.

A explicação para essas escolhas fáceis é justamente não ter com quem compartilhar a comida, de acordo com a nutricionista Cynthia Antonaccio, mestre em nutrição humana pela USP (Universidade de São Paulo) e CEO da Equilibrium Latam. "Estar sozinho acaba ativando a preguiça, pois cozinhar envolve um preparo para compartilhar e a comida tem tudo a ver com dividir", diz.

A boa notícia é que já existem possibilidades para não cair na onda dos processados. "Há alimentos práticos e saudáveis e as indústrias têm olhado para esse público com mais atenção", confirma a especialista. Portanto, não é preciso se privar de preparar um alimento fresco, saboroso e nutritivo no dia a dia, mesmo em poucas porções. E algumas dicas facilitam essas escolhas, sem desperdício, planejando o que deve ser comprado, armazenado e consumido na rotina diária. Veja a seguir:

Renda-se aos congelados e alimentos a vácuo

Ervilha, brócolis, cenoura, batata, mandioquinha, cada vez mais têm opções de vegetais e leguminosas congelados no supermercado. E o melhor: esses alimentos não perdem os seus nutrientes, garantindo o mesmo valor que os alimentos frescos. Só é importante ficar de olho na embalagem: "É importante que o alimento não tenha nenhum tipo de aditivo como sal ou tempero extra, na lista de ingredientes deve constar apenas o nome do produto escolhido", ensina Maiara Souza, mestre em ciências da saúde pela UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro) e nutricionista na Clínica Geisa Costa, em Uberaba (MG).

Conserve as folhas por mais tempo

Ter sempre uma saladinha é ótima opção para manter a boa alimentação. Porém, comprar aquele maço de alface e guardar na geladeira é ter a certeza de que metade irá para o lixo, pois irá oxidar. Para evitar perdas, a dica é higienizar as folhas antes de guardar, para garantir uma durabilidade maior. No entanto, é essencial guardar tudo bem sequinho. Para isso, use uma centrífuga (recipiente próprio para este fim) ou coloque as folhas limpas em um papel toalha ou pano de prato, que irão reduzir toda a umidade. Dá um pouquinho de trabalho, mas vale a pena. Com as folhas bem secas, Antonaccio diz que basta dividi-las em porções e acondiciona-las em saquinhos ou pote de vidro hermeticamente fechado, mantendo na geladeira.

Frutas em porções menores

Troque o mamão formosa pelo mamão papaia, afinal, a dica é investir em porções individuais para não deixar nada estragando na fruteira. Quer melancia? Compre apenas um pedaço. Ameixa, goiaba, pêssego, kiwi, maçã e pera duram um pouco mais. Já morango e banana podem ser congelados e virar uma vitamina depois. "Um cuidado: se você já tem banana que está ficando passada, não coloque junto às frutas que acabou de comprar. Os gases emitidos pelo amadurecimento da banana irão acelerar o amadurecimento das frutas. Só deixe próximo se quer que uma fruta amadureça mais rápido", fala Souza.

Seja criativo com as sobras

Tempos atuais não combinam com desperdício, por isso, se sobrou comida, guarde e reaproveite. "Legumes e carnes podem ser picados e levados para a frigideira, basta adicionar um pouquinho de creme de leite com temperos e ervas e já vira um refogado delicioso", sugere Antonaccio. Ou ainda fazer com molho de tomate e jogar por cima de um macarrão. Ou incrementar uma omelete. Se pão ficou durinho, faça torradas e, se quiser algo mais sofisticado, coloque tomate, orégano, azeite e terá uma bruschetta.

Delivery pode sim!

Quem disse que só existem opções calóricas e gordurosas para entrega? É só apostar nas opções mais saudáveis. Mude o cardápio, peça em restaurantes menores, do bairro, que servem uma comidinha mais caseira. Sempre há um jeitinho para se alimentar bem e com sabor.

A compra básica

Quem mora sozinho não pode —nem deve — ficar armazenando muitos produtos com o risco de estragar ou passar do prazo de validade. Mas também não dá para ficar indo ao mercado toda hora. Por isso, as especialistas fizeram uma listinha de itens básicos que não podem faltar na cozinha para se alimentar bem. Tem que ter: leite, ovos, tomate, atum em lata, vegetais a vácuo, salada pronta, queijo, azeite, ervas e temperos, creme de leite, massa wrap, carne moída ou peito de frango, cereais e sementes, sal, pimenta, cebola e alho. Com esses itens dá para fazer diversos pratos, por isso vale ter sempre em casa.