PUBLICIDADE

Topo

Pergunte ao VivaBem

Os melhores especialistas tiram suas dúvidas de saúde


Pergunte ao VivaBem

Perco alguns quilos, mas volto a engordar no abdome e pescoço. Como evitar?

Daniel Navas

Colaboração para o VivaBem

09/03/2021 04h00

"Faço academia, reeducação alimentar e perco alguns quilos, mas depois volto a engordar, principalmente no abdome, no peitoral e na face. Como reverter isto?"

Há várias hipóteses para esse reganho de peso. Mas, antes de entrar em algumas delas, é importante saber que, infelizmente, não podemos escolher em que parte do corpo vamos estocar (ou perder) gordura. É tudo uma questão genética. Em algumas pessoas, esse acúmulo pode se concentrar inicialmente na região do tronco e do rosto, como é seu caso. Já outras podem engordar primeiro nas pernas e no quadril.

Portanto, a principal forma de evitar que você volte a engordar no abdome, no peitoral e na face é manter regularmente uma boa alimentação (especialmente ela) e a rotina de treino.

O que provoca o efeito sanfona?

Uma das possíveis causas para seu efeito sanfona é que você está emagrecendo muito rapidamente. Quando há uma redução muito brusca de gordura corporal, o organismo não entende esse novo número na balança como o normal e faz de tudo para voltar ao peso anterior (a gordura é um estoque de energia que nosso corpo busca manter para uma situação de emergência).

Assim, seu metabolismo diminuiu e o apetite aumenta. Você come mais, o corpo passa a gastar menos energia (mesmo fazendo as mesmas atividades de sempre) e sobram calorias, que serão estocadas em forma de gordura —no seu caso, no abdome, no peitoral e na face.

A questão é individual o número pode variar de pessoa por pessoa, mas para minimizar esse problema os especialistas recomendam que a redução na balança fique entre 0,5 kg a 1,5 kg por semana. Lembrando que nem sempre o número que vemos reduzir na balança é de gordura, pode ser também de água e músculos. Nas primeiras semanas de uma dieta, por exemplo, quando passamos a nos alimentar e nos hidratar melhor e desinchamos, a redução de peso pode ser um pouco maior.

Além do emagrecimento mais lento, outro ponto importante é investir na musculação e em atividades aeróbicas no formato HIIT (Treino Intervalados de Alta Intensidade), que ajudam a manter o metabolismo acelerado.

Outro ponto importante é avaliar se ao emagrecer e se aproximar do seu objetivo você não está relaxando muito mais do que deveria na reeducação alimentar e cometendo várias escapadas na dieta. Quando esses desvios se tornam constante, a tendência é engordar.

Claro, são só hipóteses e só com uma avaliação mais completa será possível entender onde está o problema. Para isso, busque a ajuda de um nutricionista, que irá montar um cardápio saudável e que atenda às suas necessidades; de um endocrinologista, que irá analisar se está tudo certo com seu metabolismo; e de um profissional de educação física, que irá traçar planos de treinamento que incentivem o estímulo físico necessário para promover o emagrecimento sem o efeito sanfona.

Continue firme e forte na reeducação alimentar e na academia para alcançar seu objetivo sem efeito sanfona!

Fontes: Ana Teresa Mana, endocrinologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo; Fábio Cahuê, educador físico e doutor em ciência pelo HUCFF/UFRJ (Hospital Universitário Clementino Fraga Filho da Universidade Federal do Rio de Janeiro); Marina Gomes Rodrigues, nutricionista da Bodytech, em São Paulo; Páblius Staduto Braga, médico do esporte e diretor do laboratório de ergoespirometria e calorimetria indireta do Hospital Nove de Julho, em São Paulo; Rogério Friedman, médico do serviço de endocrinologia e nutrologia do Hospital Moinhos de Vento, no Rio Grande do Sul.

Tem dúvidas sobre saúde do corpo e da mente? Mande um email para pergunteaovivabem@uol.com.br. Toda semana, os melhores especialistas respondem aqui no VivaBem.

Pergunte ao VivaBem