PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Saiba quais são os principais sintomas da covid-19

Entenda os principais sintomas da covid-19, doença causada pelo coronavírus - iStock
Entenda os principais sintomas da covid-19, doença causada pelo coronavírus Imagem: iStock

De VivaBem, em São Paulo

04/02/2021 12h40Atualizada em 07/05/2021 16h10

A covid-19 é a doença causada pelo novo coronavírus, denominado Sars-CoV-2, que apresenta um espectro clínico variando de infecções assintomáticas a quadros graves. Os sintomas variam de pessoa para pessoa.

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), entre as pessoas que desenvolvem sintomas, cerca de 80% se recuperam da doença sem precisar de tratamento hospitalar. Cerca de 15% ficam gravemente doentes e precisam de oxigênio e 5% ficam gravemente doentes e precisam de cuidados intensivos.

As complicações que levam à morte podem incluir insuficiência respiratória, síndrome do desconforto respiratório agudo, sepse e choque séptico, tromboembolismo e/ou insuficiência de múltiplos órgãos, incluindo lesão do coração, fígado ou rins.

Em raras situações, as crianças podem desenvolver uma síndrome inflamatória grave algumas semanas após a infecção.

Sintomas mais comuns da covid-19

Os sintomas da covid-19 podem variar de um resfriado, uma síndrome gripal até uma pneumonia severa. De acordo com a OMS, os mais comuns são:

Sintomas menos comuns da covid-19

Outros sintomas que são menos comuns e podem afetar alguns pacientes incluem:

Sintomas da covid-19 grave

Os sintomas da covid-19 grave incluem:

  • Falta de ar
  • Perda de apetite (hiporexia)
  • Confusão
  • Dor persistente ou pressão no peito
  • Alta temperatura (acima de 38°C)

Outro possíveis sintomas da covid-19

Outros sintomas menos comuns são:

  • Irritabilidade
  • Confusão
  • Consciência reduzida (às vezes associada a convulsões)
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Distúrbios do sono
  • Complicações neurológicas mais graves e raras, como AVC, inflamação do cérebro, delírio e danos aos nervos.

Pessoas de todas as idades que apresentam febre e/ou tosse associada a dificuldade para respirar ou falta de ar, dor ou pressão no peito, ou perda da fala ou dos movimentos devem procurar atendimento médico imediatamente.

Estou com sintomas, o que devo fazer?

O Ministério da Saúde segue com a orientação para que a população procure assistência médica logo nos primeiros sintomas de covid-19, mesmo que sejam leves. Além disso, o ministério também explica que qualquer unidade do SUS está preparada para receber o paciente e fazer o primeiro atendimento para diagnóstico clínico da doença.

Essas unidades seriam as de atendimento primário, ou seja, "porta de entrada" do SUS. São elas: as UBSs (Unidades Básicas de Saúde), mais conhecidos como "postinhos", as UBSs/AMAs Integradas, no caso de São Paulo, e também as UPAs (Unidade de Pronto Atendimento). Também existem as clínicas da família ou os centros municipais de saúde e, em último caso, os prontos-socorros de hospitais públicos.

As siglas podem causar confusão, então, na dúvida, o indicado é procurar uma UBS do bairro em que você mora, em casos de sintomas leves, como febre baixa, coriza, tosse e dor de garganta.

A UPA seria mais indicada para sintomas graves, como a falta ar persistente, rebaixamento de nível de consciência e sonolência. Caso necessário, a equipe médica faz a triagem e encaminha para hospitais secundários ou terciários, que apresentam maior suporte de atendimento.

Já os prontos-socorros são mais indicados para serviços emergenciais e só devem ser procurados no caso de sintomas graves, já citados acima. Também em situações nas quais os postos de atendimento já estão fechados. Um detalhe importante é que não são todos prontos-socorros que fazem atendimento primário. Alguns, inclusive, recebem pacientes apenas encaminhados de outros lugares.

Quando devo fazer um teste?

O tempo desde a exposição ao vírus da covid-19 até o momento em que os sintomas começam é, em média, de 5 a 6 dias e pode variar de 1 a 14 dias. É por isso que as pessoas que foram expostas ao vírus são aconselhadas a permanecer em casa e afastadas de outras pessoas, durante 14 dias, a fim de prevenir a propagação do vírus, especialmente onde os testes não são facilmente disponíveis.

As prefeituras de São Paulo e do Rio de Janeiro, por exemplo, informaram que as unidades de atenção primária estão realizando os testes de covid de RT-PCR para pacientes com sintomas (leves, moderados e graves) e após indicação médica. Além disso, também estão fazendo os testes rápidos de covid-19.

  • RT-PCR: teste considerado "padrão ouro" que identifica o vírus e confirma a doença quando a pessoa já está infectada. É mais indicado para ser feito do 3° ao 7° dia de sintomas.
  • Testes rápidos de sorologia: detectam a presença dos anticorpos IgM e IgC a partir da coleta da amostra de sangue. É mais indicado para saber se a pessoa já teve contato com o vírus e tem mais efetividade a partir do 8° dia de sintomas.

Meu teste deu positivo, por quanto tempo devo me isolar?

É importante ressaltar que não são apenas os diagnosticados que devem se isolar, aqueles que tiveram contato com alguém infectado, mas estão sem sintomas por ora, também devem ficar de quarentena. Tanto o isolamento quanto a quarentena são métodos de prevenção da disseminação da covid-19.

Entenda a recomendação da OMS:

A quarentena é usada por qualquer pessoa que seja contato de alguém infectado com o Sars-CoV-2, independentemente de a pessoa infectada apresentar sintomas ou não. Quarentena significa que você permanecerá separado de outras pessoas porque foi exposto ao vírus e pode estar infectado. Para covid-19, isso significa permanecer em casa por 14 dias.

O isolamento é usado para pessoas com sintomas de covid-19 ou com teste positivo para o vírus. Estar isolado significa estar separado de outras pessoas, se for o caso, em um estabelecimento médico onde você possa receber cuidados clínicos. Se o isolamento em uma instalação médica não for possível e você não fizer parte de um grupo de alto risco de desenvolver doença grave, o isolamento pode ser feito em casa. Se você tiver sintomas, deve permanecer isolado por pelo menos 10 dias mais 3 dias adicionais sem sintomas. Se você estiver infectado e não desenvolver sintomas, deve permanecer isolado por 10 dias a partir do momento do teste positivo.

Como se prevenir da covid-19?

A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de toque do aperto de mão contaminadas; gotículas de saliva; espirro; tosse; catarro; objetos ou superfícies contaminadas, como celulares, mesas, talheres, maçanetas, brinquedos e teclados de computador.

Fique seguro tomando alguns cuidados simples, como distanciamento físico (no mínimo 1,5m), uso de máscara quando sair de casa, especialmente quando o distanciamento não pode ser mantido, mantendo os quartos bem ventilados, evitando multidões e contato próximo, limpando regularmente as mãos com água e sabão ou álcool em gel e tossindo em um cotovelo ou lenço de papel dobrado.

As recomendações de prevenção incluem:

  • Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%. Essa frequência deve ser ampliada quando estiver em algum ambiente público (ambientes de trabalho, prédios e instalações comerciais, etc), quando utilizar estrutura de transporte público ou tocar superfícies e objetos de uso compartilhado.
  • Ao tossir ou espirrar, cubra nariz e boca com lenço ou com a parte interna do cotovelo.
  • Não tocar olhos, nariz, boca ou a máscara de proteção fácil com as mãos não higienizadas.
  • Se tocar olhos, nariz, boca ou a máscara, higienize sempre as mãos como já indicado.
  • Mantenha distância mínima de 1,5 metro entre pessoas em lugares públicos e de convívio social. Evite abraços, beijos e apertos de mãos.
  • Higienize com frequência o celular, brinquedos das crianças e outro objetos que são utilizados com frequência.
  • Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados.
  • Se estiver doente, evite contato próximo com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, busque orientação pelos canais on-line disponibilizados pelo SUS ou atendimento nos serviços de saúde e siga as recomendações do profissional de saúde.

Sequelas persistentes

Resultados preliminares de uma pesquisa com pacientes recuperados de covid-19, acompanhados pela FMRP (Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto) da USP, revelam que 64% têm algum sintoma persistente seis meses depois do início dos sintomas.

Entre os pacientes atendidos pelo ambulatório pós-covid do Hospital das Clínicas da FMRP, os principais sintomas persistentes são fadiga, falta de ar, dor de cabeça, perda de força muscular, dificuldade para enxergar ou incômodo nos olhos.

Os dados são coletados pelo projeto Recovida, que acompanha, desde maio de 2020, sobreviventes da covid-19 para observar as repercussões da doença.

Saúde