PUBLICIDADE

Topo

Equilíbrio

Cuidar da mente para uma vida mais harmônica


Equilíbrio

Chorar bastante, como Fiuk no BBB 21, é sinal de algum transtorno?

BBB 21: Fiuk chora enquanto canta música de Harry Styles - Reprodução/ Globoplay
BBB 21: Fiuk chora enquanto canta música de Harry Styles Imagem: Reprodução/ Globoplay

Luiza Vidal

Do VivaBem, em São Paulo

28/01/2021 17h47

O cantor Fiuk, um dos participantes do BBB 21, tem chamado a atenção ao aparecer chorando várias vezes em apenas três dias de confinamento no programa. Isso até causou uma "revolta" dos internautas, pedindo #ForaFiuk pelo Twitter.

O participante também revelou, nesta semana, que tem TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade). Na conversa, ele relembrou alguns momentos vividos durante a infância. "Não era uma coisa positiva na escola, os moleques acabavam comigo. Eu não conseguia ser amigo de ninguém. As meninas sempre ficavam com dó, mas até a minha pré-adolescência foi brabo. Quando eu li, conheci o que era DDA [outra sigla para TDAH]", disse.

Os especialistas ouvidos pelo VivaBem explicam que o choro excessivo pode surgir em momentos de isolamento, como agora na pandemia e também na casa do BBB 21, e de muita ansiedade, mas nada tem a ver com o transtorno de atenção. "Os sintomas de TDAH não provocam choro excessivo, não tem nenhuma relação. O isolamento e a pandemia podem ser gatilhos para outros transtornos mentais e sintomas relacionados", diz Camila Luisi, psicóloga do IPq-HCFMUSP (Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo).

Além disso, a psicóloga explica que o TDAH é um transtorno mental e, por isso, há uma chance de a pessoa apresentar outro transtorno ao mesmo tempo. "Durante uma pandemia, isso se intensifica muito mais. Pode ser o déficit de atenção e uma tendência à depressão ou à ansiedade".

Para Luiz Sperry, psiquiatra do Hospital das Clínicas de São Paulo, a questão do isolamento e confinamento pode deixar qualquer um com o nível de ansiedade mais alto. Ele também explica que, para o cantor, alguns obstáculos do BBB 21 podem ser mais difíceis. "Fazer uma prova de 5 horas, por exemplo, pode ser muito mais exaustivo para uma pessoa com TDAH. Ela faz, mas com muita dificuldade. É como dirigir no escuro, sem óculos, com miopia. Tem que fazer um esforço muito grande para se concentrar nas atividades", diz.

Equilíbrio