PUBLICIDADE

Topo

Sobrou comida? Veja qual maneira correta de congelar os alimentos

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto

Thais Szego

Colaboração para o VivaBem

17/12/2020 04h00

Resumo da notícia

  • Quando é colocada no freezer, a comida perde seu calor, o que retarda a ação dos micro-organismos que promovem sua deterioração
  • Mas alguns alimentos não podem ser congelados, como maionese, as verduras cruas, as frituras, o macarrão cozido, a gelatina, os ovos e a batata
  • É essencial lavar bem as mãos e os alimentos antes de iniciar o processo e usar potes de vidro ou embalagens a vácuo
  • Carnes e aves cruas podem ficar cerca de 12 meses congeladas. Já as cozidas aguentam até três meses. Os peixes têm vida útil de dois a seis meses

Quem nunca abriu o pote de sorvete que estava no congelador e se surpreendeu ao encontrar feijão? Congelar comida é uma ótima forma de manter a praticidade na cozinha e evitar jogar alimentos fora. Quando é colocada no freezer, a comida perde seu calor, o que retarda a ação dos micro-organismos que promovem sua deterioração —os micróbios se proliferam muito menos em temperaturas baixas. Isso quer dizer que ela dura que é uma beleza.

Mas você sabia que tem alimentos que não devem ser congelados? Em alguns casos, as baixas temperaturas fazem com que eles sofram alteração na sua textura, sabor e até nos valores nutricionais. Alguns exemplos são a maionese, as verduras cruas, as frituras, o macarrão cozido, a gelatina, os ovos e a batata. As outras opções, de maneira geral, respondem bem ao congelamento e não correm o risco de ter uma perda significativa de nutrientes, se o processo for feito da maneira correta.

Qual o jeito certo de congelar

A higiene é o primeiro item que precisa ser levado em consideração. "É essencial lavar bem as mãos e os alimentos antes de iniciar o processo", afirma Janaina Vilhora, nutricionista do Hospital San Gennaro, em São Paulo. Além disso, o ideal é utilizar embalagens próprias para esse fim e verificar se estão bem fechadas. "Elas não permitem que o seu conteúdo entre em contato com o ar frio e seco do freezer, evita a passagem de aroma de uma para a outra e facilita a retirada da comida depois de congelada", explica Patricia Ramos, supervisora de serviço de nutrição Hospital Beneficência Portuguesa Paulista, também na capital paulista.

Congelar em porções - iStock - iStock
Não encher muito o freezer é importante para deixar o ar circular mais
Imagem: iStock

Os recipientes de vidro com tampa também podem ser usados, assim como os saquinhos plásticos específicos para congelamento, mas é muito importante usar um sistema a vácuo ou tirar bem o ar de dentro deles. Evitar o uso de recipientes muito grandes, que favorecem o acúmulo extra de gelo e dificultam na hora de descongelar apenas parte do conteúdo, é outra dica importante, assim como colocar etiquetas nos recipientes com no nome do alimento e a data do congelamento.

Ainda é recomendado não encher demais o freezer, pois isso prejudica o seu trabalho, já que o ar gelado não tem muito espaço para circular. Mas também não é legal mantê-lo muito vazio, já que os alimentos congelados ajudam a produzir ar frio. Na hora do descongelamento, é aconselhável deixar a comida dentro da geladeira, ao invés de em cima da pia, pois isso diminui o risco de contaminação. E nunca devemos congelar novamente um item que foi descongelado, pois, ao entrar em contato com o ar do ambiente, há uma nova contaminação de micro-organismos, colocando a segurança alimentar em jogo, se ele voltar ao congelador.

Tempo de congelamento e cuidados específicos

Existem ainda alguns cuidados que são específicos para algumas situações. Os pratos que são congelados depois de preparados, como o feijão, devem ter pouco tempero, pois o período na refrigeração deixa-o mais acentuado. Também é interessante cozinhá-los por menos tempo, para que não corram o risco de passarem do ponto quando forem aquecidos na hora do consumo. Os legumes, por sua vez, devem ser branqueados antes do congelamento. "Para isso, coloque-os em água fervente por três minutos e, em seguida, o mesmo período em água gelada", explica Ramos.

É difícil dizer quanto tempo um alimento pode ficar congelado, pois esse período varia de caso para caso e envolve fatores como o tipo e a forma como o processo foi feito, mas há alguns valores médios. As carnes e aves cruas, por exemplo, podem ficar cerca de 12 meses. Já as cozidas só aguentam até três meses. Os peixes têm vida útil de dois a seis meses dentro do freezer, dependendo da sua quantidade de gordura —quanto mais gordo, mais tempo. As massas e o arroz, três meses, os molhos e sopas, entre dois e três meses, e os queijos, apenas um mês.