PUBLICIDADE

Topo

Ageless Talks

Um encontro virtual da geração que desafia a idade


Falar abertamente sobre menopausa é primeiro passo para lidar bem com ela

Lia Rizzo

Colaboração para o VivaBem

10/12/2020 04h00

Certamente o marco biológico mais falado (e temido) na maturidade feminina, a menopausa ainda é cercada de mitos e tabus. Não raro também é encarada como o início do fim para mulheres. De acordo com um estudo norte-americano, cerca de 80% das mulheres na perimenopausa sofrem com o mais clássico dos sintomas: calores. Outras 50% vivenciam a chamada síndrome urogenital, que provoca secura vaginal e dores no sexo, entre outros sinais.

Mas o que significa realmente essa fase da vida pela qual todas as mulheres provavelmente passarão um dia? No último painel do Ageless Talks, a jornalista Lúcia Helena de Oliveira, colunista de Viva Bem, recebeu convidadas que já atravessaram esaa etapa ou acabaram de chegar nela.

A ginecologista Flávia Fairbanks tratou logo de esclarecer: "Menopausa é a última menstruação. Então ela tem dia e hora e não há dúvidas de que você saberá que ela aconteceu". De acordo com ela, este dia é precedido por ciclos irregulares, por vezes mais curtos, falhando até chegar à pausa total. E este período anterior é que caracteriza a fase pré-menopausa, ou o climatério, que pode começar ali pelos 45 anos e se estender até um pouco depois da menopausa.

Jogadora profissional de basquetebol e duas vezes medalhista olímpica, Janeth Arcain, 51, chegou no climatério aos 50. Mesmo já percebendo falhas menstruais, os sintomas vieram mais fortes do que ela esperava. "A menstruação parou de vez no ano passado, depois de muitos episódios de fogachos, que acontecem até hoje", contou. Fairbanks explicou que estes são os sinais mais comuns e ligados diretamente à queda hormonal.

Curto-circuito cerebral

A médica disse que, embora receptores hormonais estejam dispersos por todo o corpo, boa parte deles está no cérebro e precisa de hormônios para trabalhar bem. "Sendo o cérebro tão sensível, uma mínima queda hormonal já afeta o seu funcionamento. Considerando que ali está uma espécie de termômetro interno, que equilibra a temperatura corporal com a do ambiente, a falta de substâncias como o estrogênio afeta toda a regulagem", contou ela, para ilustrar o porquê da chegada do calorão. "É basicamente um curto-circuito no cérebro por conta da falta de hormônio".

Entre os demais efeitos que podem ser percebidos no sistema nervoso, a perda ou diminuição da capacidade cognitiva é dos mais marcantes e gera frustração e alguns sustos. "Ainda é difícil que as pacientes relacionem falha de memória, por exemplo, à menopausa. Muitas inclusive se desesperam por achar que pode ser uma questão neurológica", alertou a ginecologista.

Nem tudo, porém, são más notícias. É possível que algumas mulheres enxerguem a menopausa como um divisor de águas, para mares calmos e convidativos. Foi o caso de Solange Frazão, 57, para quem o fim da menstruação chegou aos 52. Apresentadora e influenciadora fitness, ela acredita que a prática de exercícios físicos ajudou a chegar bem em mais essa fase da vida. "Achava que seria um monstro, trazendo envelhecimento físico, mental", lembrou. "Mas surpreendentemente, passei a me sentir em meu melhor momento, numa excelente relação com meus filhos, vendo os netos chegar... E me achando mais interessante e bonita, mesmo com uma ou outra ruga ali".

Ageless Talks

Realizado pelo VivaBem, o Ageless Talks foi um encontro da geração que passou dos 45 anos para falar de corpo, mente, vitalidade, sexualidade. Confira os destaques da programação do evento:

Abertura com a atriz Claudia Raia: "Hoje sou dona do meu desejo e da minha libido"

Painel 1: Idade cronológica x idade biológica: como o estilo de vida define o nosso corpo
Participantes: Dra. Vânia Assaly, endocrinologista e nutróloga; Zé Roberto, ex-atleta profissional e palestrante; Paulo Zulu, empresário e modelo
Mediação: Silvia Ruiz, autora da coluna Ageless no VivaBem

Painel 2: O fim do age-shaming: crescente onda de mulheres está abraçando a idade e a beleza da maturidade
Participantes: Marina Person, cineasta e apresentadora; Mariana Muniz, médica dermatologista; Olivia Araujo, atriz
Mediação: Camila Faus, diretora de cena, uma das criadoras do SHEt_alks, carinhosamente apelidado de SHEt

Painel 3: Sexualidade e libido - como manter uma vida amorosa ativa e plena pós-45
Participantes: Jairo Bouer, psiquiatra; Totia Meireles, atriz; Patrícia Parenza, jornalista e empreendedora
Mediação: Conceição Lourenço, jornalista

Painel 4: Viver no seu Tempo - envelhecer se mantendo atual é segredo de longevidade
Participantes: Zeca Camargo, jornalista; Mariliz Pereira Jorge, colunista da Folha de S.Paulo; Luiza Brunet, empresária e ativista pelos direitos da mulher; Edvana Carvalho, atriz e arte-educadora
Mediação: Tati Schibuola, gerente Geral de Marcas Editoriais do UOL

Painel 5: Menopausa ainda é tabu, mas é possível viver essa fase com plenitude
Participantes: Solange Frazão, apresentadora e influenciadora fitness; Janeth Arcain, atleta de basquetebol; Flávia Fairbanks, ginecologista especialista em menopausa
Mediação: Lúcia Helena, colunista do VivaBem

Encerramento com a antropóloga Mirian Goldenberg: "Envelhecimento no Brasil é visto como morte simbólica"