PUBLICIDADE

Topo

VivaBem

Agência alerta que alérgicos não tomem vacina da Pfizer após 2 terem reação

Dois funcionários da Saúde tiveram reações alérgicas à vacina no primeiro dia de aplicação, no Reino Unido - Frank Augstein/POOL/AFP
Dois funcionários da Saúde tiveram reações alérgicas à vacina no primeiro dia de aplicação, no Reino Unido Imagem: Frank Augstein/POOL/AFP

Colaboração para o UOL

09/12/2020 08h41Atualizada em 09/12/2020 10h39

A MHRA (Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde) do Reino Unido informou que pessoas com alergias excessivas não devem tomar a vacina da Pfizer/BioNtech, que começou a ser aplicada ontem. Esse alerta foi emitido depois que duas pessoas tiveram reações fortes ao imunizante. Ambos estão se recuperando bem do problema.

A MHRA explicou que a restrição é apenas para quem tem histórico "significativo" de reações alérgicas a vacinas, medicamentos ou alimentos. Por isso, a partir de agora, todas as pessoas que forem se vacinar serão perguntadas sobre isso.

O problema aconteceu com dois funcionários do NHS, o sistema de saúde do Reino Unido. Eles eram alérgicos a ponto de terem que andar com um autoinjetor de adrenalina. Ambos tiveram reação anafilática minutos após tomarem a vacina, mas receberam tratamento rápido e estão se recuperando bem, segundo o NHS.

O professor Stephen Powis, diretor médico nacional do NHS, disse que esse tipo de acontecimento "é comum com as novas vacinas", por isso é importante que as pessoas sejam vacinadas em lugares com instalações disponíveis para atendimento imediato.

Nesta semana, o Ministério da Saúde do Brasil anunciou que está negociando para comprar cerca de 70 milhões de doses da vacina da Pfizer/BioNTech.

Em novembro, a gigante farmacêutica anunciou que sua vacina tem 95% de eficácia, após a conclusão dos testes da fase 3 - a última com vacinação em massa entre voluntários.

VivaBem