PUBLICIDADE

Topo

Saúde

Sintomas, prevenção e tratamentos para uma vida melhor


Saúde

Covid-19: pulmão de pacientes com quadro grave se recupera bem, diz estudo

radiografia pulmão, raio-x - iStock
radiografia pulmão, raio-x Imagem: iStock

Do VivaBem, em São Paulo

26/11/2020 15h58

Um estudo revelou que o tecido pulmonar de pacientes que sofreram gravemente de covid-19 apresentou uma boa recuperação na maioria dos casos. O artigo foi publicado no periódico Clinical Infectious Diseases, no dia 21 de novembro.

Bram Van Den Borst, da Radboud University Medical Center, na Holanda, que liderou o estudo, explica que os padrões vistos nesses pacientes mostram uma recuperação semelhante aos casos de pneumonia aguda e de Sara (Síndrome da Angústia Respiratória Aguda). "É encorajador ver que os pulmões após infecções por covid-19 apresentam este nível de recuperação".

Como o estudo foi feito

A pesquisa incluiu 124 pacientes que se recuperaram das infecções agudas do coronavírus três meses após os tratamentos. Eles foram examinados por tomografia computadorizada e outros exames nos pulmões. Os pesquisadores dividiram os pacientes em três categorias:

  • Pacientes que foram internados na UTI;
  • Pacientes que foram internados em na área de enfermagem do hospital;
  • Pacientes que puderam ficar em casa, mas apresentaram sintomas persistentes, o que justificou um encaminhamento ao médico de família.

Quais foram os resultados?

Três meses depois, pós-tratamento, os resultados mostraram que o tecido pulmonar desses pacientes estava se recuperando bem. Outra descoberta do estudo é que as pessoas que foram encaminhadas para clínicas de tratamento tiveram a pior recuperação, se comparado com os pacientes internados na UTI.

"Parece que existe um subgrupo de pacientes que inicialmente experimentaram sintomas leves de covid-19 e, depois, continuam experimentando queixas e limitações persistentes de longo prazo", explica Borst.

As queixas mais comuns relatadas após três meses foram fadiga, falta de ar e dores no peito. Muitas pessoas também experimentaram limitações na rotina, como uma diminuição da qualidade de vida.

Por que este estudo é importante?

O autor principal explica que o resultado é animador e surpreendente. "Quase não encontramos anomalias nos pulmões desses pacientes". Entretanto, ele reforça que há uma "necessidade urgente" de mais pesquisas com explicações e opções de tratamento, por conta da "variedade e gravidade das queixas" do grupo de pacientes.

Saúde